segunda-feira, 19 de agosto de 2013

5 razões para o sucesso do Furacão de Vagner Mancini

1. Luis Alberto titular.


Pode não ter sido "criação" de Mancini, mas o treinador o manteve na posição, mesmo com todas as desconfianças que o veterano despertava. E ele vem jogando melhor a cada jogo, com seu estilo "bola pro mato que o jogo é de campeonato", tem salvado várias situações de gol adversário, mesmo sem brilhantismo.

2. Bruno Silva titular.


A "frente da zaga" era o principal problema do Furacão "pré-Copa das Confederações". O time fazia gols, criava boas jogadas de ataque, mas tomava muitos gols com os zagueiros completamente desprotegidos. Bruno Silva chegou, vestiu a camisa de titular, e se mostrou um bom marcador, e quando faz o feijão com arroz, erra pouco com a bola nos pés.

É lógico que João Paulo tem um passe "agudo" muito melhor, mas corre muito menos e não vinha em boa fase, errando muitos passes, inclusive. Quem sabe entrando aos poucos, como tem acontecido, acabe roubando a posição que já foi sua.

Treinador do Atlético-PR
Vagner Mancini, treinador do Atlético.

3. Zezinho como segundo volante.


Ideia original de Carrasco, essa foi (e é) a posição onde Zezinho mais jogou bola no Furacão. Ao contrário de quando joga de meia armador, como volante "Cecinho" (como diria Carrasco) parece se transformar, correndo muito, ocupando todos os espaços, dividindo todas as bolas (as vezes até exagerando), e chegando com perigo sempre que sobe como "fator surpresa".

4. O "falso" atacante.


Vagner Mancini chegou e alterou o esquema tático do time, do 4-2-3-1 (que vinha dando certo ofensivamente) para o 4-4-2, com um losango meio torto na meiuca. E na ponta de cima do losango joga Paulo Baier, como um atacante "falso" que sobe entre os dois atacantes que jogam um pouco abertos. Muitas vezes o meia acaba ficando até na frente dos atacantes, que voltam mais para marcar.

Outros jogadores também poderiam jogar ali com semelhante eficiência, como Felipe ou Elias. O importante é que o esquema de jogo deu certo. Paulo Baier acaba sendo titular pela liderança nos momentos de nervosismo dentro da partida, e pelas bolas paradas (que já foram mais eficientes).

5. Ótimas alterações no time, antes e durante as partidas.


Sem alterar muito o time taticamente, Vagner Mancini tem colocado jogadores que acabam decidindo as partidas. Foi assim com Zezinho quando ainda era reserva. Tem sido assim com o artilheiro Ederson. Foi assim contra o Internacional, quando surpreendeu entrando com João Paulo e Zezinho como volantes, e dominou o meio-campo.

Errou em alguns momentos também, por exemplo tentando Jonas em uma das laterais, mas corrigiu no intervalo o substituindo por Carlos Alberto, que improvisado é melhor que o fraco lateral.

O importante é que vem acertando mais que errando.

---

E assim, com o rubro-negro em quinto lugar, numa sequência invicta de 10 jogos, tenho que dizer (e comemorar muito) que Vagner Mancini "queimou minha língua"!


SRN

---
RSS - Twitter - Facebook

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Empate contra o São Paulo, fora de casa, foi um BOM resultado!

Bom jogo do Atlético, fora de casa, trazendo um bom resultado de São Paulo.

Ainda mais se considermos a sequência de jogos do Furacão até o final do primeiro turno.

Marcelo e Manoel foram os melhores do Furacão.

Pedro Botelho o pior.

Bruno Silva, João Paulo e Everton abaixo da espectativa.


Agora vamos falar de arbitragem, que desde o início matou os contra-ataques do Atlético e inventou faltas constantemente próximas a área rubro-negra:

- Logo no início da partida, Marcelo saia em contra-ataque no mano a mano, após disputar uma bola com o adversário, o juiz inventou uma falta.
Atlético vs São Paulo
Aloísio segura Luis Alberto, falta pro SP?

- Numa disputa de bola pela lateral, o árbitro inverteu e deu lateral para o São Paulo. Em seguida Luis Alberto e Aloísio se seguravam pela camisa (ambos), o juiz "escolheu" dar a falta perigosa para o São Paulo, dali saiu o primeiro gol. (1 minuto do vídeo)

- No segundo tempo foram 3 faltas similares marcadas pró São Paulo na entrada da área, sendo que em uma Pedro Botelho NEM TOCA Oswaldo. Nesta quase saiu mais um gol são paulino.

---
RSS - Twitter - Facebook

terça-feira, 13 de agosto de 2013

A ótima matéria da TV CAP e da Rádio CAP com Vagner Mancini

Este Blog, que tanto criticou a contratação de Vagner Mancini, se sente na obrigação de compartilhar a ótima entrevista especial da TV CAP e da Rádio CAP com o atual treinador do Atlético.

É para este perfil de matérias e entrevistas que os veículos oficiais devem servir.


SRN

---
RSS - Twitter - Facebook

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Doze pontos conquistados em doze pontos disputados!

Portuguesa 2 x 3 Atlético, no dia 27 de julho de 2013, no Canindé.


Jogo atípico para o rubro-negro paranaense, com vitória que veio mesmo jogando mal, e com erro feio do árbitro a favor, coisa difícil de acontecer em Campeonatos Brasileiros de Série A.



Atlético Mineiro 1 x 2 Atlético, no dia 31 de julho de 2013, no Independência.


Vitória com muitos méritos pra cima do atual campeão da Libertadores, com o Furacão jogando muito bem, com uma proposta de jogo bem equilibrada, explorando as principais deficiências do adversário. De atípico, a "sorte", que não vinha acompanhando o rubro-negro na competição. "Sorte" essa que veio com a inconsequência de Bernard, que tirou a camisa e foi expulso.


Atlético 2 x 0 Goiás, no dia 04 de agosto de 2013, na Vila Capanema.


Primeira partida sem tomar gols, mas nem por isso a defesa foi bem. Mesmo num primeiro tempo ruim, levando sufoco em 3 oportunidades, o Furacão saiu na frente. Já no segundo tempo, o time voltou muito melhor, com Zezinho como segundo volante, e um Goiás mais aberto buscando o empate, o jogo foi dominado pelo Atlético, que ampliou o marcador com o artilheiro Ederson.



Atlético 1 x 0 Bahia, no dia 07 de agosto de 2013, na Vila Capanema.


Vagner Mancini manteve o time do melhor momento contra o Goiás, e manteve Zezinho como segundo volante, mostrando que iria pra cima do Bahia. E foi o que aconteceu. O Atlético fez uma blitz nos primeiros minutos de jogo criando boas jogadas, mas errando no último passe.

Depois o time buscou manter o ritmo pegado, mas tendo mais pressa do que velocidade, e que manteve o alto índice de passes errados.

No final do primeiro tempo, a expulsão infantil de Madson, do Bahia, acentuou o que o jogo já vinha mostrando: o time baiano recuou ainda mais e o Atlético dominou completamente a partida, com 67% de posse de bola ao final do jogo.

E num ótimo passe de Elias para Dellatorre, o atacante deu uma linda assistência para Paulo Baier, que mesmo jogando mal, guardou com categoria no cantinho.


---

tecnico atletico paranaense
#QueimaMinhaLinguaMancini

#QueimaMinhaLinguaMancini


Superando as minhas expectativas mais otimistas (ou realistas), Vagner Mancini conseguiu resultados excelentes a frente do Furacão até o momento.

Mesmo mudando bastante o setor que melhor funcionava no Atlético, o ataque, o novo treinador conseguiu atenuar bastante a falta de aproveitamento do time, que, com Drubscky, atacava muito, mas também errava muito.

Já na defesa, a entrada de Luis Alberto e a mudança dos volantes foi fundamental para o time tomar menos gols, mas o posicionamento ainda preocupa, principalmente nas jogadas que envolvem Pedro Botelho, hoje o pior jogador do time titular.

---

Vamos com calma


Sendo bem realista, pensando apenas nos 45 pontos necessários para ficarmos na Série A, se o Atlético conquistar 1 ponto nos próximos 6 disputados, contra Internacional e São Paulo fora de casa, ficarei satisfeito.

Isso porque, além da boa "gordura" conquistada nos últimos jogos, após esses confrontos complicados o Atlético enfrenta Criciúma e Botafogo em casa, além do Náutico fora. Todos jogos para vitória.

Qualquer coisa acima desse 1 ponto pode mudar o patamar do Atlético dentro do Campeonato.

SRN

---
RSS - Twitter - Facebook

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Cuca, curitibano e atleticano!

Cuca confirma que é Furacão de coração!

Veja na entrevista coletiva, aos 7:40 minutos:


Tem como não gostar do cara?

SRN

---
RSS - Twitter - Facebook

Virada emocionante e o PFC com suas transmissões ridículas

atlético-mg 1 x 2 atlético-pr
Ederson virou o jogo.

Virada, com V maiúsculo de Vitória!


Fazia tempo que o Atlético não estragava a festa de alguém. Pois ontem estragou.

A festa era do Galo, pelo título da Libertadores, e pela suposta despedida do bom jogador Bernard.

Mas o Furacão não quis nem saber, e desde o início comandou o jogo.

Os primeiros cincos minutos mostraram bem o que seria o restante da partida: um Atlético com a posse de bola (!) sempre cercando a área adversária, mas levando pouco perigo. Já o Galo jogando como sempre jogou em 2013, no contra-ataque com muita qualidade técnica. Em alguns momentos isso se inverteu.

Até que num contra-ataque, o irregular Neto Berola dribla facilmente Bruno Silva no meio e lança a bola entre Leo e Weverton que ficam olhando Bernard "se consagrar". Seria um filme já visto: o Atlético sendo o perfeito convidado pra festa adversária.

Mas aí Vagner Mancini e Zezinho queimaram a minha língua.

O meia entrou na posição que deve jogar, como um volante de qualidade, e deu um passe espetacular para o até então sumido Everton empatar.

Três minutos depois o mesmo Zezinho recebeu na esquerda, foi levando, levando, levando, até cruzar despretensiosamente rasteiro para área, e lá estava o artilheiro do Furacão no campeonato para antecipar o zagueiro e o ótimo goleiro Victor. Vira-vira com gol de Ederson!

Virada espetacular no melhor jogo do Atlético com Vagner Mancini no comando.

Melhores momentos da virada espetacular.

bernard pfc
PFC priorizou entrevista com Bernard.

PFC


Não é de hoje que eu reclamo das transmissões do PFC, mas ontem eles se superaram.

Semanas atrás, antes da Copa das Confederações, eles já tinham interrompido a transmissão de um ataque do Atlético para mostrar o ônibus do Galo (!!!) chegando no estádio para a partida que começaria 3 horas depois.

Ontem, após a expulsão do bom, mas tolo, Bernard, os repórteres cercaram o garoto, que falava sobre seu futuro. Enquanto isso o Atlético atacava, e só depois de chegar perto do gol é que a imagem voltou para o jogo. Mesmo assim, o áudio ficou na entrevista, enquanto o Atlético chegava no gol de empate.

Ridículo, é só o que podemos dizer sobre essas transmissões que querem mais focar mais nas polêmicas e "festas" do que no futebol em si.


Minha reação com a vitória surpreendente!
---

Mais:
PFC interrompeu jogo para mostrar Bernard - Furacao.com

---
RSS - Twitter - Facebook