terça-feira, 19 de março de 2013

Um peso, duas medidas

Ontem o goleiro Santos, que disputa o Campeonato Paranaense com o elenco Sub-23 do Atlético, foi suspenso por uma dividida com Gil, volante do Coritiba. (leia mais aqui)



A jogada realmente foi mais "ríspida" que o normal, o que pode justificar a punição de "apenas" um jogo. O problema é o critério utilizado pelo tribunal, ou a falta dele.

Ano passado, no primeiro Atletiba da decisão, além de todos os erros absurdos já comentados aqui no Blog (Atletiba: jogo dos 7 erros), um chama atenção pela violência. Vamos a ele:


Com o jogador Bruno Furlan já caído, o meio Lincoln, do Coritiba, da um chute praticamente na cabeça do adversário, numa jogada completamente descabida e evitável. Naquela oportunidade, apesar de todas as reclamações da torcida e dos jogadores atleticanos, o árbitro nada marcou. E depois do jogo, com as imagens correndo a internet, o Tribunal nem julgou o caso.

Arbitragem

A expressão "um peso, duas medidas" também pode ser aplicada aos árbitros se compararmos o Campeonato Paranaense do ano passado com este ano. Vamos aos lances:

[2012] Bruno Mineiro é empurrado mais o juiz ignora.


[2013] Pênalti idêntico marcado a favor do Coritiba no final de semana (30s)

E o tal do critério, cade?

SRN

---
RSS - Twitter - Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário