quarta-feira, 17 de outubro de 2012

A motivação política/clubística regendo as decisões em torno da Copa do Mundo

Foto: arenacap.com
Impressionante como tudo que se decide sobre a Copa do Mundo em Curitiba, bem ou mal, sempre acaba mostrando motivação política ou clubística no final das contas.

Começando pelo próprio Atlético, que por meio da Diretoria utiliza termos como "os verdes", "os invejosos", "os traidores" como culpados por qualquer questionamento sobre as obras, sejam esses questionamento válidos ou não (mais aqui). Além disso, a irresponsabilidade em utilizar empresas relacionadas a familiares foi gigante. Não me interessa se é a melhor e mais barata, para esta obra, especificamente, não deveria ser feito assim (mais aqui).

O Governo Municipal e Estadual tenta falar e fazer o mínimo possível sobre o assunto, por medo da opinião pública e das urnas, sejam os projetos bons ou ruins para o interesse público. Inclusive tirando as discussões da pauta, temendo pressão dos vereadores num segundo turno que nem conseguiram chegar (mais aqui). No final, quando o estádio estiver pronto, posarão de autores da obra.

O Poder Legislativo fica na surdina esperando supostos escândalos para só aí se manifestar, e sempre representado por pessoas ligadas a um dos dois rivais curitibanos, sejam os escândalos verídicos ou absurdos. Tanto aprovações das leis, como também nos cortes aos ajustes das leis, as coisas foram feitas na base do interesse político/clubístico (mais aqui).

Até o Tribunal de Contas, que supostamente devia estar fiscalizando as obras "24/7", espera momentos (in)oportunos para fazer o máximo de barulho possível, e este representado até por integrante de Torcidas Organizadas. Parece um criança teimosa voltando no assunto "é dinheiro público ou não", quando deviam era analisar os meios utilizados na câmara de vereadores para beneficiar, com leis, o empreendimento com dinheiro PRIVADO (mais aqui e aqui).

A diretoria do Coritiba também adora falar do assunto, e numa aula de hipocrisia foi até a festa da torcida organizada, antes banida, falar em "tapa na cara do rival e do poder público" para anunciar uma pequena reforma em seu estádio. (mais aqui)

Por fim, boa parte dos torcedores parece cegar-se quando o assunto é Copa do Mundo. O bom senso desaparece, e todos com críticas e/ou opiniões contrárias viram inimigos mortais.

Muitos coxas acreditam com todas as suas forças que o Atlético manda na imprensa e no governo, que a diretoria está manipulando tudo e todos, numa enorme conspiração que visa desviar todas as verbas públicas e acabar com o time deles!

Muitos atleticanos acreditam que a imprensa e o governo é verde, que todos que um dia criticaram qualquer detalhe das obras é traidor e querem ver o mal do Furacão.

---

No final das contas, poucos analisam os verdadeiros interesses e qualidades do projeto, e a Copa do Mundo (e o futebol) viram um "meio" para o "fim": a política (o poder).

---

[Atualização - 5 de junho de 2013] - Alguns meses depois e a história continua a mesma, com integrantes de torcidas organizadas escalados para fiscalizar as obras da Baixada pelo TCU! Veja aqui!


---
Blog do Furacão no Facebook

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

A falta do tal do "bom senso"!


1. É impressionante a vontade com que vários torcedores e (pasmem) alguns jornalista demonizaram a torcida do Coritiba sem ao menos ler os detalhes do que aconteceu...

2. Impressionante também a ingenuidade e a falta de bom senso do pai da garota de 13 anos. Ele não era um "turista desavisado" ali, sabia onde estava, assistiu o jogo todo escutando o que a torcida fala sobre o outro time. Infelizmente (seria bom se não fosse como é hoje), devia ter pensando melhor ao deixar sua filha pedir a camisa de um jogador adversário.

3. Isso aconteceria em qualquer estádio do Brasil, inclusive na Arena da Baixada.

4. Ao ver a reação de alguns imbecis (desculpe o palavrão) agredindo o pai da menina, me peguei pensando: "normal né, olha o que a menina foi pedir"... Aí bateu o "click": Isso não pode ser normal, por favor, a falta de bom senso está imperando (com o perdão do trocadilho)! Nada, absolutamente NADA justifica as agressões dos marginais, precisamos refletir.

Turista de verde no Pacaembu,
5. O incidente do turista torcedor do Celtic na torcida do Corinthians exemplifica mais ainda esse sentimento de raiva e ódio acima de tudo que tomou conta das arquibancadas. Ok, o cara está de verde na torcida do Corinthians, mas chegar no nível de ser obrigado que ser retirado (da área VIP, pasmem) pra não apanhar, complicado. Repito, na Arena aconteceria o mesmo.

6. Sem querer ser saudosista, mesmo porque não tenho idade suficiente pra ser. Mas 5 anos atrás eu podia ir (e fui) a Arena com meu primo, torcedor do Internacional, vestindo a camisa colorada (isso porque as torcidas (des)organizadas não eram inimigas). Chegando na entrada cada um ia pro seu lado e, ganhando ou perdendo, nos encontrávamos depois do jogo para ir juntos para casa. Hoje, se fizer isso, nós dois seríamos agredidos.

7. Gritar, xingar, espernear, dentro do estádio... SIM! Cuspir, agredir, brigar, dentro ou fora do estádio... NÃO! O limite é claro e nítido pra qualquer um, basta ter BOM SENSO (e um pouco de bom humor)!

8. Um relato excelente do que aconteceu ontem no Couto Pereira feito por um coxa-branca: Cusparada, agressão, choro e a polícia imóvel. O absurdo no Couto por quem estava lá

Segue o vídeo do episódio do Couto Pereira

Assistam sem som para não escutar o idiota do Neto falando merda.


Ps.: Mauro Cezar Pereira, da ESPN Brasil, lembrou bem (via twitter) que a mesma polícia que deu tiros na torcida do Atlético em 2011 por apenas protestar contra a arbitragem, ontem não fez absolutamente nada para proteger a menina e o pai que estavam sendo agredidos. Segue o vídeo do que que aconteceu na Arena da Baixada em 2011.




---
Blog do Furacão no Facebook