sábado, 1 de setembro de 2012

Ricardo Drubscky deu sua cara ao time (e estragou)

Teorias.... e a prática?
Jorginho pediu um time inteiro novo, a diretoria trouxe, mas um jogo antes de conseguir com que seu time inteiro novo jogasse, Jorginho foi embora, talvez por falar demais, e falou...

Assumiu Drubscky, com o aval da boleirada...

Por ter bom senso, o novo treinador manteve o esquema preferido de seu antecessor, que vinha sendo preparado pra ser implementado. Com o time inteiro novo, contratado especificamente pra esse esquema, funcionou na hora.

Um 4-2-3-1, com laterais subindo para apoiar os pontas, meia distribuidor, volante que sabe fazer a transição, e um veterano decisivo no banco, o interino vence quatro seguidas...

"Bom, agora que venci quatro, estou com moral, vou começar a colocar minha cara nesse time" deve ter pensado o interino...

"Que medo!", eu disse durante a semana.

Pois é, o time que vinha evoluindo mudou, contra Joinville e Ipatinga, só jogou quando precisou correr atrás do resultado.

Laterais agora sobem só na boa, os pontas seguram mais na marcação, o meia distribuidor da lugar a outro, carregador de bola e sem ritmo, o veterano decisivo sai do banco, e o atacante que perde 10 gols em 3 jogos fica 90 minutos em campo todos os jogos.

Agora, o novo elenco bom pra Série B espera tomar o gol pra jogar bola, burocracia pura, coisa de teórico mesmo...

Esse é Ricardo Drubscky, o teórico que continua NÃO servindo pro Atlético.

O problema é que agora é tarde, e se não for com o interino, iremos com quem?

O jeito é torcer pra "nova" diretoria de futebol manjar mais de futebol do que a antiga, por que quando as coisas começam a complicar, já sabemos que escala o time...

Ipatinga 1 x 1 Atlético-PR

Acorda Drubscky, esse time precisa correr riscos, mas oferecendo perigo ao adversário!

SRN

---
Blog do Duune no Facebook
Camisas do Furacão com preços acessíveis!

Nenhum comentário:

Postar um comentário