terça-feira, 17 de julho de 2012

Diferenças de receita nos clubes brasileiros

Nesta semana o Atlético anunciou seu novo patrocinador "master", a Caixa Econômica Federal.

Informações não oficiais apontam o valor anual da parceria: R$4 milhões / ano (fonte: furacao.com)

Imediatamente lembrei de uma reportagem que mostrava a dificuldade dos clubes de maior torcida no país em encontrar um patrocinador que pague o que pedem.

Estão aí os valores (fonte: globoesporte.com)

[Fonte: GloboEsporte.com]
Enquanto o Furacão briga pra conseguir um patrocínio estatal na casa de 4 milhões, o Corinthians nega proposta de 25 milhões. E, proporcionalmente falando, essa diferença é menor do que diferença nas receitas de televisão, por exemplo!

Temos que fazer mágica pra brigar de igual pra igual. E essa mágica depende diretamente da quantidade de sócios que o clube possui.

Cabe ao clube facilitar essa associação, com bons times e planos que atinjam uma maior quantidade de pessoas, e aos torcedores comprarem a ideia!

Sem criar esse "diferenciais" para tentar superar o abismo financeiro entre os clubes, o futebol brasileiro vai ficar igual o espanhol, com 2 ou 3 clubes disputando todos os títulos.

E o endividamento continua...


SRN

---

Mais sobre o assunto:
E eles querem mais
Cariocas puxam a fila, e dívida dos clubes brasileiros sobe 19% em 2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário