sábado, 28 de julho de 2012

Felipe, Elias e Marcão completam o novo time do Furacão na temporada

Depois de passar o primeiro semestre todo acreditando no "vai com a piazada mesmo", a diretoria percebeu que o time não engrenou e saiu pra contratar um time inteiro novo em menos de um mês.

E com Jorginho o novo lema é "Série B se ganha com time de Série B". Assim vieram: Weverton (antes), Maranhão, Wellington Saci, João Paulo e Derley. Desses, vejo apenas João Paulo com um bom futuro no clube na Série A, talvez Derley também, mas tem que provar.

Faltavam jogadores ofensivos, e nesse semana foram confirmados os meias Felipe e Elias, além do atacante Marcão. Mais três excelentes nomes pra Série B. Pra futuro, na Série A, tem que provar muito.

De qualquer maneira, a história se repetiu, o barato saiu caro novamente, e agora é correr atrás do prejuízo com o bom time que estamos formando. A baixíssima qualidade técnica dos adversários na Série B permite qualquer clube remontar equipes dentro da competição com chances até do título, então vamos torcer!

Sobre as contratações, segue alguns momentos de cada um:

Felipe (meia)


Elias (meia)


Marcão (atacante)


---
Blog do Duune no Facebook
Camisas do Furacão com preços acessíveis!

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Histórico de Wilton Pereira Sampaio nas partidas do Atlético

Acostumado a meter a mão no Atlético
Wilton Pereira Sampaio apita a partida contra o Guarani, em Campinhas, no dia 28 de julho, pela Série B 2012. Vamos ao histórico:

17 de Maio, Brasileiro 2009 - São Paulo 2 x 2 Atlético-PR:

- Pênalti não marcado em Marcinho aos 3 minutos;

- Aos 45 do segundo tempo, Washington recebeu pelo alto, domina com o braço a bola, que sobra pra Borges, que cruza para André Lina, em impedimento, empatar a partida no último minuto.


2 de Maio, Copa do Brasil 2012 - Atlético 1 x 0 Cruzeiro:

- usou dois critérios completamente distintos nas marcações de faltas durante toda a partida, deixando o jogo correr a favor do Cruzeiro e travando o jogo constantemente nas jogadas do Furacão.

- não expulsou Roger em uma cotovelada que deu em Deivid.


Então, expectativa de arbitragem complicada em Campinas.

SRN

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Ficando com cara de time

Jorginho chegou falando em fazer um TIME e repetir a formação.

Com os reforços isso já virou realidade, e o provável Atlético de cada jogo já pode ser pelo menos imaginado pelos torcedores, com uma ou duas mudanças eventuais.

E pra próxima partida, devem entrar Derley e Liguera... boa Jorginho!

Baier, que na minha opinião pode ser útil, desde o início do ano já mostrava que o banco seria seu lugar em 2012.

Deivid, machucado, pode perder definitivamente a posição, caso Derley seja 60% do que falam que é. Isso porque mesmo sendo um excelente destruidor, Deivid não é o cara pra ser o elemento surpresa que João Paulo, por exemplo, pode ser.

O time deve ser: Weverton; Maranhão, Manoel, Cleberson e Wellington Saci; Derley, João Paulo e Martín Ligüera; Marcelo, Ricardinho e Tiago Adan.

E neste time, só trocaria o fraco Ricardinho por Taiberson.

SRN

---

Previsão do tempo

Sábado (21 de julho) será um dia de tempo aberto, com sol forte e uma chuva de gols! Mais dois motivos para os sócios descerem para Paranaguá!

terça-feira, 17 de julho de 2012

Diferenças de receita nos clubes brasileiros

Nesta semana o Atlético anunciou seu novo patrocinador "master", a Caixa Econômica Federal.

Informações não oficiais apontam o valor anual da parceria: R$4 milhões / ano (fonte: furacao.com)

Imediatamente lembrei de uma reportagem que mostrava a dificuldade dos clubes de maior torcida no país em encontrar um patrocinador que pague o que pedem.

Estão aí os valores (fonte: globoesporte.com)

[Fonte: GloboEsporte.com]
Enquanto o Furacão briga pra conseguir um patrocínio estatal na casa de 4 milhões, o Corinthians nega proposta de 25 milhões. E, proporcionalmente falando, essa diferença é menor do que diferença nas receitas de televisão, por exemplo!

Temos que fazer mágica pra brigar de igual pra igual. E essa mágica depende diretamente da quantidade de sócios que o clube possui.

Cabe ao clube facilitar essa associação, com bons times e planos que atinjam uma maior quantidade de pessoas, e aos torcedores comprarem a ideia!

Sem criar esse "diferenciais" para tentar superar o abismo financeiro entre os clubes, o futebol brasileiro vai ficar igual o espanhol, com 2 ou 3 clubes disputando todos os títulos.

E o endividamento continua...


SRN

---

Mais sobre o assunto:
E eles querem mais
Cariocas puxam a fila, e dívida dos clubes brasileiros sobe 19% em 2011

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Como fica o time com a "nova defesa" recém contratada


João Paulo chega pra jogar.

Um time de "defensores" chegou nos últimos dias no CT do Caju.

O zagueiro Renato Chaves, os laterais Maranhão e Wellington Saci e o volante João Paulo.

Deles, apenas Renato Chaves chega para compor, os outros três chagem para jogar.

Nem vou comentar sobre o planejamento mal feito (ou falta dele) para a temporada. Neste momento prefiro pensar "antes tarde do que nunca"!

E como deve ficar o time com os reforços (e também com os jogadores que hoje estão no DM)?

Eu treinaria um 4-2-3-1, com a seguinte formação: Rodolfo; Maranhão, Manoel, Cleberson e Saci; Deivid e João Paulo, Zezinho, Paulo Baier e Harrison; Tiago Adam.

Maranhão chega pra atacar.
Ricardinho e Marcelo perderiam as vagas no time, muito em função dos novos laterais, que sobem muito mais ao ataque, permitindo jogadas de ultrapassagem e abrindo mais espaço no meio campo.

E pra fazer essas jogadas de ultrapassagem nas alas precisamos de qualidade no passe, o que Zezinho e Harrison podem oferecer, com sobras.

Isso fará com que Deivid e João Paulo constantemente tenham que cobrir as laterais, não subindo muito. Também ajudar a deixar Paulo Baier com mais espaço no centro do gramado, com Harrison e Zezinho fazendo as jogadas tanto pelo meio como pelas alas, quando os laterais subirem.

Mas esse esquema não dará certo caso Zezinho e principalmente Harrison não ajudem na marcação quando o time não tiver a posse da bola.

Enfim, essa é mais um opção que Jorginho terá com os novos reforços.

SRN

domingo, 8 de julho de 2012

Um jogo, dois times

Considero que ontem, contra  América-MG, foi verdadeira estréia de Jorginho no comando rubro-negro.

O novo técnico teve a semana toda pra trabalhar, testou diversas formações e jogadores, e no final chegou a inexplicável solução de entrar com 5 zagueiros, 1 voltantes, 1 Alan Bahia (posição especial que só o CAP possui), 1 meia e 2 atacantes, num bizarro 5-2-1-2, onde Manoel era mais ala que Gabriel Marques, Ricardinho mais ala que Bruno Costa, e ninguém se encontrava na confusa defesa. Custou a derrota.

No segundo tempo, mudou o time pra como devia ter entrado, ou perto disso. Tirou a "Alambique" Bahia colocando Marcelo, que sempre entra com muita velocidade, levando sempre muito perigo. Empatamos, provando o que sempre digo: "TODOS os times da Série B são MUITO fracos".

Pois é, mas o time cansou, principalmente Paulo Baier (impressionante o que correu o velhinho). Mas aí apareceu outro erro de Jorginho. Num time com apenas um meia, de 37 anos (é isso?), o treinador não escalou um meia sequer no banco!

Aí ficou difícil, e numa bola espirrada no meio, a pelota sobrou para o América-MG, dentro da área: caixão!

Mais uma derrota. Mais uma partida em que, mesmo com um time fraco, podíamos ter vencido, e devido aos próprios erros, de treinador e elenco, perdemos.

SRN

segunda-feira, 2 de julho de 2012

"William Batoré e o Atlético", um conto "meio que" verídico


"Foi em 2009, ano em que o Avaí fazia uma boa campanha no Campeonato Brasileiro, e o Atlético seguia ano apoś ano brigando contra o rebaixamento.

Era dia 31 de outubro, mesmo preocupados com o possível rebaixamento e dois jogos depois de ver, "in loco", o Coritiba nos vencer por 3 a 2, fomos eu e meu pai pra Floripa ver o Furacão enfrentar a surpresa que tinha acabado de subir da Série B, o Avaí do técnico Silas.

Não jogávamos nada, e o Avaí abriu o placar logo cedo. Foi um dos piores jogos naquele ano, com o time sem vontade, sem raça, sem qualidade alguma, e com o Delegado pouco podendo fazer no banco. Pra completar a lambança, aos 34 minutos do segundo tempo, Willian Batoré (caneleiro, pangaré e ex-verde) recebe um cruzamento da direita e emenda uma bicicleta sensacional: golao, 2 a 0, cachão fechado.

Foi quando meu pai me olhou, meio que rindo pra não chorar, e disse: "Esse Willian Batoré seria uma boa no nosso ataque hein". Eu nem esperei ele se explicar e mandei: "O dia em que Willian Batoré for solução pro nosso ataque eu desisto..."

---

Segue alguns gols importantes do Willian pelo Avaí:



---

Pois é, e segundo a jornalista Nadja Mauad, Willian Batoré pode ser o novo reforço do Furacão pra SÉRIE B 2012. E PIOR, pode ser a SOLUÇÃO!

QUE FASE!

Ah, e eu não desisti!

SRN

---

Referências: Furacao.com e Blog da Nadja.