quarta-feira, 20 de junho de 2012

Semanas decisivas


Gigante do Itiberê, com gramado péssimo

Durante este primeiro semestre, não foram poucas as vezes que "a ficha caiu": vamos jogar a Série B. E aquele sentimento de tristeza, misturando com indignação voltava. Depois de um tempo, já "conformado" com a idéia de que teremos que disputá-la e pronto, passei a tentar a enxergar algo de positivo nisso tudo, aí pensei: pelo menos esse ano vai ser "mais tranquilo", com adversários fracos, devemos subir com facilidade.

Pois é... não é o que vem acontecendo.

E pior, o cenário do Furacão para as próximas semanas é complicadíssimo:

- Jogando um futebol de baixíssimo nível na Série B, desde a partida contra o Joinville o Atlético não mostra organização ou qualidade que indique um caminho melhor no campeonato.

- Saiu Carrasco, perdido em meio as bizarras ingerências da diretoria em seu trabalho.

- Por eliminação, vem Ricaro Drubscky, estudioso do futebol, mas sem sucesso na prática que o credencie a trabalhar no Furacão. Pra piorar, seu discurso é clássico de técnico perdedor.

- Nos mudamos para Paranaguá, muito pela falta de capacidade e investimento da diretoria em conseguir um acordo com Paraná ou Coritiba, além da cabeça dura dos rivais tocando o assunto. E a "nova casa" tem tudo que um time fracassado deve ter na Série B, estrutura ruim, poucos torcedores e gramado horrível.

- E a preocupação aumenta analisando os próximos adversários do rubro-negra: Ceará (fora), Bragantino (em Paranaguá) e América-MG (fora). Serão 9 pontos disputados para definir se encostamos na parte de cima ou na parte de baixo da tabela.

Enfim, vamos torcer... e muito!

SRN

Nenhum comentário:

Postar um comentário