segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Nossa sorte tem nome: "Marcinho"

Ele é o cara!
O jogo

Lembra da sorte que eu comentei que precisaríamos para fugir desse situação? Pois é, ela apareceu!

Depois de um primeiro tempo fraco, com apenas uma chance de Nieto, num lance bizarro, o Atlético voltou um pouco assustado no segundo tempo.

E aí a sorte começou a aparecer, quando o bandeira marcou impedimento bizarro no gol do Jô, anulado pelo arbitro.

Depois do susto, o Atletico começou a mostrar alguma qualidade ofensiva, principalmente com Marcinho, que vem sendo decisivo sempre que entra.

E não deu outra, num passe preciso de Marcinho, Nieto apenas empurra, de cabeça, para fazer 1 a 0.

A partir do primeiro gol o Furacão conseguiu dominar melhor a partida, e logo Nieto teve sua terceira chance de marcar, num passe preciso de Guerron perdeu ao tentar driblar o goleiro.

Mas o jogo era nele, e o rubro-negro insistiu nas bolas para o gringo, e num cruzamento preciso de Edilson, Nieto cabeceia todo torto pra marcar o segundo, praticamente matando o jogo!

Só que a noite era pra lembrar de Kleber, o Incendiário. Mais um lançamento, dessa vez do irregular Marcelo Oliveira, deixando Nieto cara a cara com o goleiro. O gringo recebeu e seguiu uns 25 metros brigando com a bola, demorando pra concluir a jogada... Perdeu mais um!

A essa altura a vitória já era certa e a torcida resolveu gritar o nome do gringo, mesmo com seu aproveitamento de 40% em lances claros.

E agora?

O fato é que seja com Nieto, Pablo, Edgar Junio ou El Morro, a bola precisa chegar, e esse ano a bola só chega quando Marcinho está em campo.

E no final das contas, pra tal da sorte continuar do nosso lado, Marcinho tem que estar em campo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário