sexta-feira, 6 de maio de 2011

Debandada geral só comprova a incompetência de todos os envolvidos

Ocimar e Valmor estão fora
Segundo as especulações da imprensa sobre a saída de Valmor, Ademir e Bolicenho, são dois fatores principais que determinaram os fatos: a saída de Geninho e a não contratação de Everton.

E aí eu pergunto, se estão discordando tanto sobre esses assuntos a ponto de saírem do clube, são todos incompetentes mesmo.

A saída de Geninho foi um remendo num erro cometido no início do ano, pois ele não devia nem ter sido contratado. Mesmo os maiores defensores de Geninho concordam que o cara não tinha como continuar. (ou não)

E sobre Everton, pode ser um bom atacante, sei lá, mas não é um nome que chega pra vestir camisa com certeza, porque está gerando tanta discórdia?

Outros problemas que acontecem na gestão MM deveriam ter muito mais importância do que estes dois casos, no entanto, foram os dois casos que causaram essa debandada geral no departamento de futebol.

Por isso, a impressão que fica pra mim é de incompetência geral, seja Marcos Malucelli, Ocimar Bolicenho, Valmor Zimmermann ou Ademir Adur. Todos os envolvidos no futebol do Furacão neste ano podem ser tachados como incompetentes.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Arbitragem muito confusa e time muito nervoso determinam resultado ruim

Paulo Baier só apareceu na bola parada
Segundo a galera que estava no estádio, antes do início da partida o clima parecia de Libertadores nas arquibancadas e no entorno da Arena. Torcida animada com o torneio mais importante do primeiro semestre.

Dentro de campo Adilson armou um time com 3 volantes, sendo Paulo Roberto a novidade na equipe. Paulo Baier, Madson e Guerrón ficaram responsáveis pela parte ofensiva, sem um homem de referência na frente.

O time entrou motivado, e talvez por consequência dessa motivação, muito nervoso. A zaga trocando (e errando) passes perigosos no campo de defesa. O meio campo muito tumultuado, com Paulo Roberto sendo o único a fazer boa partida. E no ataque, Madson fez contra seu ex-time, sua pior partida desde que chegou em Curitiba.

Mas o Vasco é um time muito fraco também, dando espaço pro Atlético atacar e muito, mas sem qualidade nas finalização, como vem sendo durante todo esse início de ano.

Ainda no 0 a 0, dois erros do bandeira em dois lances de mesma linha, onde os atacante saiam na cara de Fernando Braz.

E o Vasco contra-atacava com força, e com as 3 armas obvias marcou seu primeiro gol. Lançamento de Diego Souza pra velocidade de Éder Luis, e no oportunismo de Alecsandro o Vasco marca o primeiro. Curiosamente, os 3 jogadores costumam fazer a festa contra o Atlético faz tempo.

Pro segundo tempo, pra mim veio o primeiro erro de Adilson. Considerando a capacidade técnica de cada jogador, Madson foi com certeza o pior no primeiro tempo, com jogadas displicentes e errando muitos passes, o baixinho nitidamente não quis jogar contra o Vasco, ou seja, tem que sair. Não saiu, e continuou errando até o final.

Madson só faltou trocar de camisa
Entrou Branquinho pro lugar de Robston. E não decepcionou. O meia atacante está jogando tudo que esperávamos dele desde sua contratação.

E aí o Atlético foi pra cima na base da vontade e da raça. Paulo Baier, diferentemente do Atletiba, resolveu acertar os cruzamentos (mas só fez isso), e no "bate-rebate" Guerrón meteu pra dentro: 1 a 1.

O rubro-negro continuou encima, e Guerrón, como sempre, teve a chance de virar, duas vezes. Chutou as duas pra fora. Aí veio o velho ditado: "quem não faz... leva", e Diego Souza (denovo ele decidindo) pegou a sobra e meteu um balaço no ângulo: 2 a 1.

Na frente no placar, o Vasco recuou e começou a catimba, amarelando todo o seu time, um a um. E quando Felipe tomou o segundo amarelo (segundo Rubens Pozzi, da ESPN Brasil), o super Wilson Pereira Sampaio esqueceu que tinha dado o primeiro. Incrível!

E nessa catimba o jogo foi se arrastando, praticamente sem futebol, até Branquinho pegar uma sobra na área, tocar na bola e se jogar. O juizão, que é fraco pra "baralho", foi na dele e deu o pênalti. Cinco minutos depois (por causa da catimba) Paulo Baier cobrou com perfeição e empatou: 2 a 2 e final de partida.

Veja o gol de Guerrón


Arbitragem

Com 2 impedimentos decisivos mal marcados no primeiro tempo contra o CAP, 1 pênalti mal marcado contra o Vasco, e 2 cartões amarelos sem expulsar Felipe (ainda sem confirmação das imagens da TV), o Furacão acabou saindo no prejuízo.

Zaga ou peneira?

O setor defensivo continua sendo o calcanhar de Aquiles do rubro-negro. Manoel e Rafael Santos não se entendem, Rômulo foi muito mal, e Paulinho sempre na mesma, apenas regular e errando todos os cruzamentos.

Madson não joga contra o Vasco?

O baixinho "soda" esteve simplesmente irreconhecível contra seu ex-clube. Calculando por cima, errou 90% dos passes, armou vários contra-ataques e não ganhou UMA jogada no mano. Nitidamente displicente, ele tem é que se explicar pra torcida. Se não quer jogar contra o Vasco, pede pra sair, não atrapalhe!

Não levem a mal toda a minha revolta com Madson, pois ainda acho que ele é essencial para a qualidade técnica do time. Joga muito, dribla, tem raça e corre, tudo isso mesmo indo pra balada. E por saber de toda essa capacidade é que estou revoltado.

Adilson

Continuo confiando no treinador, mas hoje poderia ter entrado com Branquinho e demorou pra tirar Madson. Mais que isso, com o banco que estava a disposição, não podia fazer.

Paulo Roberto

O volante estreou bem, com bom poder de recuperação, sem errar muitos passes, parece ter futuro.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Vamos ficar de olho na arbitragem!

Wilton Pereira Sampaio.
Na Copa do Brasil, a medida que o torneio começa a funilar, a preocupação com a arbitragem aumenta.

Por ser um torneio mata-mata, os erros acabam sendo mais decisivos, e dificilmente esquecidos pela torcida.

E nós, torcedores rubro-negros, sabemos bem o que é ser prejudicado nesse torneio.

Por isso estou de olho na escala de árbitros.

Wilton Pereira Sampaio é o árbitro escalado para a partida mais importante do Furacão até o momento, em 2011.

Procurando nos meus arquivos de erros de arbitragem, que por sinal não é pequeno, achei o nome do juiz.

Ele apitou a segunda partida do Atlético no Campeonato Brasileiro de 2009, São Paulo 2 x 2 Atlético.

Os erros

Aos 3 minutos de partida, Marcinho sofreu pênalti não marcado, e aos 45 do segundo tempo, quando o Atlético ganhava por 2 a 1, Washington recebe na área, domina com a mão, cruza para André Lima, que em posição de impedimento empata.

Erro absurdo que custou 2 pontos para o CAP logo na segunda rodada do campeonato.

Como de costume, os melhores momentos da TV não cobrem todos os erros de arbitragem, mas no caso do gol absurdamente irregular, você pode conferir aqui:



Então o jeito é ficar de olho no árbitro, e empurrar o Furacão pra cima do Vasco.

PS.: A Furacão.com também destacou os erros do árbitro em 2009, segue o link.