quinta-feira, 3 de março de 2011

Rapidinhas sobre a semana do Atlético

[foto: Ag. Estado]

Copa do Brasil

Pra não variar, o Furacão penou pra passar da primeira fase da Copa do Brasil. Ano após ano é isso, sofremos contra times fracos, passamos bem contra algum time médio, nos animamos, e daí tchau nas quartas-de-final.

Difícil tirar alguma lição do jogo de ontem.

Adversário fraco, campo pesado, torcida desconfiada protestando, técnico recém chegado, destaques do time jogando mal... Foi tudo muito atípico, exceto o fato de sofrermos para passar da primeira fase.

Os melhores do jogo: Guerrón e Lucas (esse errando muito, lutando muito e sendo decisivo na hora certa).

Os piores (acredite): Paulo Baier e Kléberson. O Xaropinho errou tudo e mais um pouco.

Lesão de Madson

"O Soda" tem sido o motorzinho do time. Quando não joga, tem feito mais falta que o maestro Paulo Baier. Ficará duas semanas de fora, preocupante.

Mas vendo por um lado "positivo", a lesão vem num momento "menos pior", já que teremos apenas o Paranaense nesse tempo. Então quem sabe Geninho não descobre um alternativa para as futuras ausências do baixinho quando o bicho estiver pegando mesmo.

Marcos Pimentel de saída

Finalmente. O lateral não conseguiu mostrar bom futebol em nenhum momento no Furacão. É fraco defensiva e ofensivamente, e no elenco temos outras opções melhores (Wágner Diniz e Edgar).

MCP e MM juntos? Nunca mais.
Petraglia x Marcos Malucelli

O primeiro já perdeu a postura faz tempo, principalmente quando fala da atual direção, sempre exaltando o passado, mas nunca admitindo seus próprios erros nas útlimas temporadas que esteve a frente do CAP.

Já o segundo perdeu a linha no meio de seu mandato. Costuma ser coerente ao falar de futebol, mas quando fala do primeiro, se perde.

Eu ainda acho que as contratações da Gestão Malucelli, quando dinheiro foi investido, foram boas e pontuais.

Já a Gestão Petraglia, na época de sucesso, tinha um perfil completamente diferente de contratações. Deu muito certo na época, mas a insistência em manter a política do "bom" e barato acabou minando os últimos 3 anos de mandato, quando disputamos apenas rebaixamente ano após ano.

É preciso encontrar um equilíbrio entre as duas situações.

Contrações (e também poucos empréstimos) como Marcinho, Paulo Baier, Wesley, Madson, Guerrón, Lucas e Kléberson são importantes para um clube que quer ganhar títulos nacionais.

Mas investimentos (e parcerias) na base que apresentem jogadores como Jadson, Fernandinho, Rhodolfo, Chico e Neto também são de extrema importância.

E já que Malucelli e Petraglia nunca irão se entender, como cheguei a sonhar que pudesse acontecer, quem se candidata?

Nenhum comentário:

Postar um comentário