segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Leandro Niehues insiste no erro: Clayton como segundo volante.

Depois da vitória de quinta debaixo de muita chuva, o Furacão venceu novamente numa partida "atípica".

De jogada bonita só o primeiro lance, no primeiro gol do Atlético, com passe de Branquinho, para o corta-luz de Nieto e a finalização de Clayton, 1 a 0 Furacão.

Depois, durante todo o primeiro tempo, só deu ACP, com direito a gol de empate.

No segundo tempo, a história foi parecida, mas com lançamentos de Paulo Baier e a boa fase de Nieto (na chuva), o Furacão venceu na individualidade, tomando ainda um pequeno sufoco no final da partida.

Clayton

O técnico Leandro Nieheus, que até foi bem nas substituições da partida anterior, insistiu no erro de entrar com Clayton como segundo volante.

O "Predador" não tem mais a capacidade de desarme necessária para um segundo volante, aliás, ele mal acompanha os meias adversários, a exemplo de Branquinho.

Pensando no ataque, Clayton tem sido muito útil, mas nesse esquema, jogando como segundo volante, deixa o time muito vulnerável. E com o meio ainda tendo Branquinho, em péssima fase, sem ajudar na marcação, o Atlético perdeu o meio-campo durante todo o primeiro tempo.

Mudanças de Leandro Nieheus

Na volta pra segunda etapa, o treinador interino resolveu tirar Branquinho (que realmente não jogava nada) e colocar Fransérgio. Na hora, pensei que funcionaria, afinal Fransérgio passaria a ser o segundo volante, preenchendo melhor o meio, e Clayton seria liberado pra armar junto com Paulo Baier.

Mas, pra minha surpresa (sim, eu ainda me surpreendo com as besteiras de Nieheus), Fransérgio entrou como terceiro zagueiro, abrindo um rombo ainda maior na meia-cancha rubro-negra.

Goleiro Sílvio

Aí o goleiro Sílvio trabalhou bastante, mesmo que de forma estabanada em algumas oportunidades, o goleiro estreante foi decisivo, fazendo algumas difíceis defesas, ainda mais num campo enlamaçado.

Merece mais algumas chances como titular.

Maestro e "auxiliar" técnico Paulo Baier

O gol do ACP parecia ser questão de tempo, quando Baier decidiu discutir a formação tática da equipe com o treinador interino. Após a discussão, Baier organizou praticamente uma preleção no centro do gramado.

Resultado: Fransergio avançou para segundo volante, Clayton e Baier ficaram mais recuados, apenas lançando bola para Wescley e Nieto.

Cinco minutos depois Baier lançou Nieto, que driblou o goleiro e sofreu um pênalti infantil, 2 a 1.

Logo depois, o Maestro sofreu falta, cobrou, o goleiro deu rebote duas vezes e a bola sobrou para Nieto marcar o terceiro.

Maestro Paulo Baier decidindo novamente.

Gols da partida



Chuva forte e rápida deixou o gramado em condições horríveis



Saudações rubro-negras.

Um comentário: