quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Wilson Luiz Seneme vem roubando o Atlético desde 2003

Seneme parece sempre querer
aparecer mais que o jogadores.
Excelente levantamento de Gustavo Rolin, da Furacao.com, lembrando de todas as partidas em que o árbitro Wlison Luiz Seneme roubou o Atlético:

Atlético 1 x 0 Tuna Luso (Copa do Brasil – 2003) – Com a vitória, o Furacão se classificou para a etapa seguinte. Seneme não apitou dois pênaltis para o Furacão no primeiro tempo da partida.

Atlético-MG 1 x 2 Atlético (Campeonato Brasileiro – 2003) – O árbitro marcou pênalti inexistente de Luciano Santos em Tucho, não convertido por Diogo.

Flamengo 1 x 1 Atlético (Campeonato Brasileiro – 2005) – Mais uma marcação de pênalti inexistente, dessa vez de Danilo sobre Vinícius.

Atlético 0 x 1 Fluminense (Copa do Brasil – 2007) – Com o empate por 1 a 1 na primeira partida no Rio de Janeiro, ao Furacão bastava não sofrer gols para sair com a classificação. No segundo tempo da partida, ainda sem gols, Seneme deixou de marcar pênalti claro de Thiago Silva sobre Ferreira.

Botafogo 3 x 2 Atlético (Copa Sul-Americana – 2009) – Um empate com gols decretaria a classificação rubro-negra. Seneme marcou pênalti inexistente de Bruno Costa. Na época, jornalistas da ESPN disseram que a o pênalti marcado foi “vergonhoso”.

Atlético 0 x 2 Cruzeiro (Campeonato Brasileiro – 2010) – Na primeira etapa, após cobrança de falta de Paulo Baier, a bola toca no braço do jogador cruzeirense dentro da área. Seneme nada marcou. Também no primeiro tempo, árbitro marcou impedimento inexistente de Bruno Mineiro, que abriria o placar.

Atlético 2 x 2 Fluminense (Campeonato Brasileiro – 2010) – Quando o Furacão vencia por 1 a 0, Seneme não marcou pênalti de Diguinho em cima de Guerrón. E aos 43 minutos da segunda etapa, o árbitro não teve dúvidas em marcar pênalti duvidoso de Gonzalez em cima de Tartá. O pênalti foi convertido por Conca e selou e empate entre as equipes.

Fonte: Gustavo Rolin (furacao.com) - Leia a matéria completa clicando aqui.`


Pênalti absurdo marcado por Seneme em 2009, aos 40 segundos de vídeo


Atualização - 21/10/2013: A roubalheira continuou neste ano (2013), na partida contra o Grêmio, em Porto Alegre. O árbitro não expulsou o atacante mais sujo do país Kléber, após o gremista acertar um pontapé sem bola em Luis Alberto. Após isso, o atleticanos caíram nas provocações gaúchas, com Luis Alberto e Pedro Botelho sendo expulsos corretamente por agressão e falta no mesmo Kleber.

Nenhum comentário:

Postar um comentário