segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Jornalista Cosme Rímoli comenta sobre conversão da pena de Danilo


"Por que não dar também umas chibatadas no Manoel?


Palmas, muita palmas para a liberação de Danilo.
Ele teve de cumprir menos da metade da sua pena.
Em uma cena deplorável, ele cuspiu e ainda chamou Manoel de 'macaco do c...'
Pegou 11 jogos de suspensão.
Sua pena seria exemplar, de acordo com quem manda na Justiça Esportiva do Brasil.
Serviria de exemplo para crianças.
Mesmo com raiva, um jogador de futebol deveria não ter um atitude discriminatória.
O Direito adora expressões que disfarcem o que realmente aconteceu.
Danilo do Palmeiras foi racista com o negro Manoel.
Nunca câmeras de tevê pegaram tão bem e de forma clara essa postura nojenta.
Fora a cusparada.
Mas o tempo passou.
As pessoas esqueceram.
Os advogados do Palmeiras insistiram.
O clube é forte nos bastidores.
Os advogados do Atlético Paranaense deixaram para lá.
E, pronto, depois de cinco partidas, Danilo está leve, livre e solto.
Pode jogar contra o Corinthians.
Exemplo sensacional para as criança, racistas, estúpidos em gera.
O caminho é esse: quer comparar alguém a um macaco, não há problema.
Primeiro o susto.
Depois, prometa várias cestas básicas e tudo bem.
Você está livre para voltar a xingar quem quiser.
Se quiser cuspir, fique à vontade.
Ah, por ter trocado cotoveladas com Danilo, Manuel deverá cumprir seis partidas.
Além de humilhado, ter sido xingado de macaco e tomado uma cusparada na cara, deverá ficar suspenso mais do que Danilo.
Palmas para a Justiça Desportiva brasileira.
Por que não dar também umas chibatadas no Manoel?"

Relembra o caso:

Nenhum comentário:

Postar um comentário