segunda-feira, 5 de julho de 2010

Coluna de Paulo Perussolo, da Furacao.com

Coluna de Paulo Perussolo, da Furacao.com:

"A negociação já se arrastava pelas últimas semanas, a torcida atleticana estava apreensiva, queria acreditar que Guerrón seria o grande reforço do clube para este segundo semestre, mas os altos valores envolvidos na negociação tiravam a motivação de muitos, até que tudo aconteceu. Até onde tenho conhecimento, o Atlético fechou a maior compra da sua história.

Joffre David Guerrón Méndez é jogador do Furacão, confirmaram os dirigentes. Entre tantas apostas, enfim uma certeza, um reforço “de peso”. Apesar de não ter se dado bem no Cruzeiro, seu último clube, e da dificuldade de adaptação ao futebol espanhol, onde atuou pelo Getafe, a lembrança dos torcedores é da magnífica campanha de Guerrón pela LDU, em 2008. Com velocidade, dribles e gols, “El Dinamita” (como é conhecido no Equador) encantou milhões de torcedores, levando sua equipe ao título da Libertadores daquele ano, traumatizando os torcedores do Fluminense, o adversário na final. 

Talvez Guerrón represente muito mais do que uma grande contratação, uma mudança de paradigma no comando do Atlético. Assim como os outros clubes brasileiros, o Furacão encontrou grandes dificuldades para driblar a terrível Lei Pelé, sendo obrigado a mudar também o método de contratações. A partir disso, foram dezenas e dezenas de apostas contratadas, poucas deram certo, o CT do Caju abarrotado de jogadores sem qualidade técnica treinando em separado e onerando o clube.

Muitos torcedores ainda vivem a ilusão de que o Atlético já é um clube “top de linha” no Brasil e que não só pode como deve competir de igual pra igual com o eixo Rio - São Paulo, com os mineiros e gaúchos, mas a realidade é que a arrecadação do clube ainda não permite tamanho investimento. Para crescer é lógico que o clube tem que investir, e investir bem, diferente do que ocorreu nos últimos anos, mas sem loucuras.

El Dinamita pode representar uma nova página na história do Furacão. Quem investe espera um retorno, que no caso do futebol tem dois lados: dentro de campo e financeiro; pra isso acontecer, a aposta é válida, mas é arriscada, não pode ser regra. Faltava ao Atlético investir no certo, pagar mais caro, mas diminuir ao extremo a chance de erro. Guerrón é uma realidade.

Pode não ser o reforço dos sonhos de parte dos atleticanos, mas volto a dizer: o Atlético ainda não pode bater de frente com os clubes poderosos do Brasil, principalmente do “eixão”. A questão é o que a chegada de Guerrón representa para a realidade atleticana: a maior contratação (ao menos em termos financeiros) da história do Clube Atlético Paranaense. Deve ser motivo de comemoração entre os rubro-negros!

A diretoria organiza agora uma recepção à altura para o equatoriano. Planejam não só aguardar a chegada do atleta no aeroporto, como fazer uma festa diferente, abrindo os portões da Arena da Baixada para que Guerrón seja apresentado de perto aos torcedores. Vários torcedores já se mobilizavam acreditando que o jogador chegaria nesta segunda-feira a Curitiba, mas o clube informou que o atacante chega amanhã (terça-feira), o horário do desembarque ainda não foi confirmado. 

Vai aqui o meu pitaco para a diretoria de marketing do Atlético: que tal uma camisa com nome e número fixo para o Guerrón? Tenho certeza que os torcedores iriam adorar a idéia. ¡Bienvenido Guerrón! Que seja um negócio de sucesso tanto para o clube quanto para o jogador. Os únicos que provavelmente não gostaram da contratação foram os torcedores do Fluminense, que até hoje devem ter pesadelos com o equatoriano; o Atlético joga com o time carioca ainda neste mês."

Opinião

Sempre fui a favor do clube utilizar camisas com números fixos pro elenco, o que já é comum no futebol Europeu. É lógico que times brasileiro acabam tendo problemas com isso pela alta rotatividade de jogadores. Mesmo assim, acredito que seja uma iniciativa válida para aumentar o número de vendas de camisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário