quarta-feira, 30 de junho de 2010

Definição da vinda de Guerrón é adiada novamente, e outro atacante deve vir junto com o equatoriano

image #1
Já calou a torcida do Fluminense,
mais um ponto pra Guerrón
Do blog da Nadja Mauad:

"Guerrón

A resposta que era aguarda para esta quarta-feira ficou para amanhã. O jogador chegou tarde em Buenos Aires e iria se reunir com o seu empresário para definir se aceita a proposta do Atlético. O equatoriano garantiu aos dirigentes que nesta quinta-feira irá dar uma resposta para o clube.

Ao contrário do que foi divulgado, o salário do atleta não atrapalhou na negociação. O Furacão já acertou a compra dos 80% dos direitos do jogador com o Getafe e já fez ao empresário uma proposta salarial e contratual.

Além de Guerrón, mas um atacante pode reforçar o Furacão. O argentino Federico Nieto, que defende o Colón, da Argentina, será incluído na negociação, caso ela se concretize amanhã. 

Marcelo

image #2
Federico Nieto
O Atlético conseguiu baixar o valor dos 80% dos direitos do atacante Guerron de 1.6 milhões para 1 milhão de euros e ainda conseguiu parcelar a quantia com o Getafe. Por isso, o clube resolveu utilizar dinheiro do próprio caixa para fechar a negociação.

Porém, a negociação de 40% dos direitos do atacante Marcelo para a Traffic segue em andamento. Na entrevista coletiva da semana passada, o diretor de futebol Valmor Zimermann chegou a confirmar as conversas quando foi questionado da possibilidade do atacante ser envolvido na negociação do Guerrón. "Vocês sabem tudo. Realmente isso é verdade", disse, sem dar maiores detalhes.

Vitor

O volante Vitor, do União Barbarense, assinou contrato com o Atlético. O jogador já tinha realizado exames médicos na semana passada no CT do Caju.

Alan Bahia

O diretor de futebol, Valmor Zimermann, confirmou hoje que o Atlético aguarda apenas detalhes burocráticos para confirmar a ida do volante Alan Bahia, para o Al-Khor. O jogador não tem treinado com o grupo. Valores e salário já estão acertados."

---

Parece que só falta Guerrón definir se quer, ou não, vir para o Furacão. Vamos torcer, é um bom atacante. E com ele pode vir o tal de Federico Nieto. Quem é? Também não sei! Então segue um vídeo com alguns momentos do atacante.

Alberto lançará livro com sua biografia amanhã, na Arena Store

image #1
Alberto, ídolo rubro-negro.

Do site oficial do Atlético:

"O lateral-direito Alberto marcou história com a camisa do Atlético Paranaense. O jogador que atuou vários anos na equipe rubro-negra esteve presente na bela campanha da equipe no Campeonato Brasileiro de 1996. Nesta quinta-feira, a partir das 17h, na Arena Store, o jogador fará o lançamento do livro "Alberto: Talento, sorte e persistência. A trajetória de um vencedor", uma biografia do lateral escrita por Carlos Alberto Silva.

O livro conta sobre a vida e a carreira de Alberto, incluindo as passagens no Atlético e também na Europa. Uma parte da renda obtida na venda do livro será revertida para instituições de caridade. No início deste ano, o jogador esteve no CT do Caju para acompanhar alguns treinos da equipe profissional. Alberto tem a intenção de exercer a função de treinador e colocar em prática os anos de experiência dentro e fora do país."

Assista as imagens da despedida de Alberto, no ano passado (2009), na Arena

Confirmação de Guerrón foi adiada pra hoje, e outros reforços devem chegar

image #1
Guerrón, com a camisa da seleção
equatoriana.
Do blog da Nadja Mauad:

"Guerrón

Guerrón está muito próximo de ser confirmado como novo reforço do Atlético. O clube já acertou as bases salariais e o tempo de contrato com o empresário, faltando apenas o jogador aceitar as condições.

Guerrón estava em Quito e iria nesta terça-feira para Buenos Aires conversar com seu procurador, mas um atraso no voo do equatoriano adiou a reunião para amanhã. Assim, o Atlético aguarda para esta quarta-feira uma resposta final do atleta.

Negociação

image #2
Marcelo, jovem promessa do Furacão.
A venda dos 40% dos direitos econômicos do atacante Marcelo, para a Traffic, já era dada como certa pela própria diretoria atleticana. Com esse dinheiro e mais uma outra quantia que sairia do próprio Atlético, o clube investiria na compra dos 80% do atacante Guerrón.

Porém, segundo o jornal Tribuna do Paraná, o Atlético acabou optando por pagar 1 milhão de euros pelo equatoriano e não envolver Marcelo em uma negociação com a Traffic. O fato da Traffic ter como objetivo principal tirar Marcelo do Atlético, teria atrapalhado na conclusão da negociação.

Nesta quarta-feira vou procurar a diretoria atleticana para esclarecer esse assunto.

Volante Vitor

O jogador do União Barbarense voltou para o CT do Caju, mas a sua contratação ainda não foi confirmada pela diretoria.

Alan Bahia

O Atlético deve confirmar nessa semana a ida do volante para o Al-Khor. Já está tudo certo (o Atlético já acertou o valor e o jogador as bases salariais) para o empréstimo do jogador. Quem tratou da negociação foi o presidente Marcos Malucelli.

Matheus

A diretoria confirmou na semana passada o interesse no zagueiro que atua no futebol francês e ainda não descartou a negociação.

Reforços

Além de Guerrón, mais um atacante deve desembarcar na Baixada."

[Arena da Baixada] Atlético e poder público estão próximos de acerto

Da Gazeta:

"Curitiba está a um passo de anunciar oficialmente a solução para a Arena quanto ao Mundial de 2014. Segundo apurou a Gazeta do Povo, o Atlético voltou atrás na recusa dos papéis de potencial construtivo (espécie de permuta sobre investimentos com garantia de livre zoneamento em construção) e contratou uma consultoria especializada no assunto para trabalhar com os papéis e garantir o montante da construção do restante do estádio.


Detalhes impediram o anúncio oficial, entre eles a viagem que o governador Orlando Pessuti, o prefeito Luciano Ducci e o gestor de Curitiba para o assunto, Luiz de Carvalho, farão para encontrar Ricardo Teixeira, presidente da CBF e do Comitê Organizador Local (COL), na final da Copa da África. A reunião será para carimbar as garantias que a Fifa exige quanto às obras na Arena,


image #1
Arena da Baixada, mais próxima de sediar o Mundial no Brasil.


No clube, o presidente do Conselho Deliberativo, Gláucio Geara, limitou-se a dizer: “Nós fala mos desde o início: o Atlético sozinho não concluirá o estádio (no padrão Fifa), entraríamos com 33% da verba”. Sobre a consultoria, afirmou que o assunto vem sendo tratado pelo vice-financeiro Ênio Fornea e pelo presidente Marcos Malucelli. Eles não fo ram encontrados pela reportagem.


Questionado sobre o “sim” atleticano e fim da novela sobre a con clusão da Arena para o Mundial, Luiz de Carvalho declarou que os governos procuraram se aproximar dos pedidos atleticanos. “Dentro do que a prefeitura podia passar, ainda faltava alguma coisa. E o estado também concordou em ajudar. O processo burocrático está agilizado.”


Carvalho ainda disse que a Assembleia articula votação em caráter de urgência para o projeto do deputado estadual Luiz Cláu dio Romanelli (PMDB) sobre o patrocínio da Copel aos clubes pa ranaenses em campeonatos na cionais, em especial no na ming ri ghts da Arena – deve ocorrer perto do dia 6 de julho.


A garantia de que os papéis terão prioridade de venda pensando na obra curitibana para a Copa 2014 foi aceita pelo governo. Isso significa que Coritiba e Paraná terão de esperar a conclusão da Arena para apresentar seus projetos. “Isso é natural. Eles não estão no projeto Copa e hoje a prioridade é essa. Mas a lei terá essa previsão”, garantiu Carvalho."

Opinião

Interessante que a cidade de Curitiba, como um todo (governo, clubes e opinião pública), pode chegar a um consenso, onde os três principais clubes da cidade vão sair ganhando. Isso só faz com que o futebol da cidade cresça. É a antiga história da rivalidade sadia, onde o crescimento de um clube incentiva o crescimento dos rivais.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Atlético aguarda resposta do procurador de Guerrón ainda hoje

A jornalista Nadja Mauad informou, em seu twitter, que o Atlético já conversou com o procurador do jogador Guerrón, e aguarda uma resposta, ainda hoje.

Guerrón vem sendo especulado há mais de uma semana e, agora, o acerto parece próximo.

Entre o Atlético e o Getafe, clube espanhol que possui contrato com o jogador, está tudo acertado.

Boa contratação.


Veja alguns lances de Guerrón pela LDU

E quem será o substituto de Valencia?

Do Paraná-Online (por Clewerson Bregenski):


image #1
Chico em ação na Arena.
"A partir de hoje, o técnico Paulo César Carpegiani tem uma missão: definir quem passará a desempenha a função de volante de contenção no “novo Atlético”. Afinal, o ex-titular Valencia foi negociado com o Fluminense e o reserva Alan Bahia também está acertado para jogar no Catar. Assim, há vagas no meio-campo e a escolha também vai depender do esquema tático que o técnico irá adotar. 


Dos seis volantes do elenco atual, apenas Chico parece estar garantido no setor. O jogador tem sido um dos destaques recentes do time e participou dos quatro jogos comandados por Carpegiani desde a chegada do treinador (Botafogo, Vitória, São Caetano e Corinthians).


image #2
Olberdam, destaque no futebol
português.
Polivalente, ele pode se transformar no primeiro volante da equipe, porém prefere jogar como segundo, já que tem facilidade para sair jogando. Assim as demais alternativas para a posição de cão de guarda da zaga recaem sobre o recém-contratado Olberdam, no experiente Claiton, e os jovens Fransergio, Renan e Deivid. 


Olberdam veio do futebol português onde atuou nos últimos cinco anos e essa experiência internacional deve pesar a seu favor. O problema é que devido à janela de transferência internacional, o volante só poderá atuar a partir de 26 de julho.


O jovem Fransergio é outra opção. Ele ganhou moral com o treinador devido às boas atuações nos dois últimos jogos do Brasileirão, porém atuando como zagueiro. 


image #3
Renan, contra o Chivas.
Claiton está muito tempo parado em virtude das operações no tendão de Aquiles e ao longo período de recuperação. Está em fase de adaptação e disputou sua primeira partida, em quase um ano, no último domingo. Também tem características de segundo volante.


Deivid foi testado nas partidas do torneio disputado em Londrina e Renan anda meio desprestigiado. Ainda há Mayaro, jogador que está realizando testes no Atlético.


A princípio, a escolha de Carpegiani para suprir a ausência de Valencia era Joílson. Porém, a contratação do atleta não aconteceu, pois foi detectada uma lesão no tornozelo do jogador durante a realização de exames médicos no CT do Caju. Descartado, o jogador retornou ao Grêmio."

image #4
Claiton, o Predador.
Opinião

Jogando com três zagueiros, como o Atlético vem jogando, acredito que Chico e Claiton podem jogar juntos. São os dois volantes de melhor qualidade técnica entre os que estão no elenco, sem contar com Olberdam, que ainda não conheço.

Outra boa opção, para jogos em casa, ou contra adversários mais defensivos, seria a entrada de outro meia no time, ao lado de Paulo Baier. E quem entraria seria Netinho ou Branquinho, na minha opinião. O time ficaria muito mais criativo e ofensivo. Por outro lado, Baier não jogaria tão salto, precisando ajudar mais na marcação.

Acho que Carpegiani vai com dois volantes mesmo, pelo menos nesse (re) início de campeonato.

Assista ao gol do título do torneio amistoso em Londrina, contra o Corinthians

O Furacão jogou com o time reserva, mas o Corinthians entrou com o time principal. Veja o gol.


segunda-feira, 28 de junho de 2010

A Era do Grunhido, por Flavio Gomes

A era do grunhido, por Flavio Gomes:

image #1
Capa da Veja
"O Brasil tem uma revista semanal, “Veja”, que se considera a maior do país. Deve até ser mesmo, sei lá quais são os critérios, não sei quantos leitores tem, quanto fatura, não me interessa. Deixei de assinar essa porcaria anos atrás, já não me lembro se por algum motivo específico, ou se foi, apenas, porque um dia peguei na porta de casa e me espantei: eu ainda gasto dinheiro com esta merda?


Tal revista perdeu a relevância, para estabelecer um marco, depois da queda de Collor de Mello. Naqueles anos de impeachment, as semanais deram vários furos, foram importantes, descobriram coisas. Depois, sumiram. Hoje, a “Veja” é reduto de uns caras chiliquentos como Diogo Mainardi, Reinaldo Azevedo e Augusto Nunes. “Ah, você não lê, como sabe?”, vai perguntar alguém.


Eu de tudo sei, tudo conheço. Piadinha interna.


Mas não quero falar aqui dessas figuras ridículas que acham que escrevem bem e que se julgam parte de algum grupo de pensadores contemporâneos, já que são cheios de fazer citações by Wikipedia e com elas impressionam seus leitores babacas. O que escrevem e dizem, para não ofender demais, repercute entre eles três e seus leitores babacas, todos compartilhados. Eles detestam o Lula e o PT, e é tudo que conseguem exprimir com sua verborragia enjoativa e padronizada. Mas dali não sai, suas opiniões e ataques histéricos contra o que chamam de esquerda brasileira não têm importância alguma, não produzem eco algum.


image #2
"Ensaio sobre a Cegueira" deu origem ao
filme com mesmo nome, de Fernando
Meirelles
Só que a capa da “Veja”, embora a revista seja uma droga indizível, tem importância, sim. Afinal, ela é vista por alguns milhões de pessoas, repousa amarrotada durante meses em mesinhas de consultórios médicos, dentistas e despachantes, e as pessoas a notam nas bancas de jornais, ao lado de mulheres peladas. E algumas pessoas ainda puxam assunto em mesas de bares e restaurantes dizendo “li na ‘Veja’”, e tal. São os “formadores de opinião”. Uau.


E aí aparece aqui na minha frente, no estúdio da rádio, a ”Veja” que foi hoje às bancas. Na capa, “CALA BOCA GALVÃO”, uma foto do narrador da Globo, e está dada a senha para uma pretensa reportagem séria de sete páginas, um “box” e três gráficos sobre o poder do Twitter, motivada por uma bobagem infanto-juvenil que nem os “tuiteiros” levam muito a sério, lançada no dia da abertura da Copa. Aliás, nem o Galvão levou a sério, claro, porque discutir um uma “hashtag” de Twitter é como sugerir um seminário para analisar a musicalidade de uma vuvuzela, ou um congresso sobre comunidades bizarras do Orkut.


Ontem morreu José Saramago. O maior escritor da língua portuguesa mereceu desse semanário indefensável meia página, com uma foto e uma legenda editorializada, porque ”Veja” tem opiniões formadas até sobre índice e numeração de páginas. Diz a legenda: “ESTILO E EQUÍVOCO”, reduzindo Saramago a isso, a alguém que tinha estilo e era equivocado, para atacar as posições políticas e religiosas do escritor, comunista e ateu.


Alguém ser comunista e ateu, para a “Veja”, é algo mais condenável do que estuprar a mãe no tanque. “Ao lado da criação literária, manteve-se sempre ativo, e equivocado, na política”, diz o texto pastoso, que nem assinado foi. Uma pobreza jornalística inacreditável. “Nos países cujos regimes ele defendia, nenhum escritor que ousou discordar teve o luxo de uma morte tranquila”, encerra o autor. Como é que alguém pode escrever uma merda desse tamanho? Será que essa gente não tem vergonha do que coloca no papel?


image #3
José Saramago, escritor português
Pois todas as palavras ditas e escritas por Saramago, capaz de obras-primas da literatura universal como “O Evangelho Segundo Jesus Cristo”, “Ensaio Sobre a Cegueira”, “Todos os Nomes”, “Memorial do Convento”, “Caim”, “Jangada de Pedra”, mereceram da “Veja” meia página, enquanto três palavras bobas espalhadas pelo Twitter foram parar na capa da revista e em sete de suas páginas.


O que mais me atormenta, quando vejo essas coisas, é saber que graças a decisões editoriais como essa, uma babaquice como o “CALA BOCA GALVÃO” assume, diante dos olhos e do julgamento dos retardados que levam tal revista a sério, uma importância bem maior do que a vida e a obra de Saramago.


Saramago pedindo um café a sua esposa tem mais conteúdo, provavelmente, do que todas as edições juntas de “Veja” dos últimos 15 anos. Ele tinha razão, quando falava do Twitter — não se enganem, Saramago tinha até blog, não era um velhote vivendo numa caverna. Numa recente entrevista por e-mail a “O Globo”, disse: “Nem sequer é para mim uma tentação de neófito. Os tais 140 caracteres reflectem algo que já conhecíamos: a tendência para o monossílabo como forma de comunicação. De degrau em degrau, vamos descendo até o grunhido”.


Pois a “Veja”, hoje, inaugurou a era do grunhido impresso."

domingo, 27 de junho de 2010

Furacão vence o Corinthians, ganha torneio em Londrina e Claiton volta aos gramados

image #1
Jean marcou o gol atleticano
[foto: Julia Abdul-Hak]
Da Furacao.com:

"Com gol do lateral-esquerda Jean, o Atlético se consagrou campeão da Taça Cidade de Londrina, neste domingo, ao derrotar o Corinthians pelo placar de 1 a 0 no estádio do Café. O torneio também reuniu Iraty e São Caetano, este derrotado pelo Furacão na sexta-feira pelo mesmo placar.


Na tarde deste domingo, o técnico Paulo César Carpeggiani utilizou apenas três jogadores considerados titulares, como os zagueiros Rhodolfo, Manoel e o volante Chico. O Rubro-Negro titular foi composto por: João Carlos; Manoel, Rhodolfo e Eli Sabiá; Paulinho, Chico, Netinho, Deivid e Bruno Costa; Thiago e Anderson Aquino. Entre os substitutos, Claiton, Javier Toledo e Tartá tiveram oportunidade de entrar na partida contra os paulistas.


image #2
Claiton, finalmente, voltou
aos gramados.
Apenas 1.371 pagantes assistiram à partida em Londrina e viram o Corinthians sair melhor na primeira etapa, enquanto o Atlético priorizava a marcação e apostava em contra-ataques. Já no segundo tempo, os rubro-negros tiveram uma boa oportunidade logo aos cinco minutos, quando Anderson Aquino foi lançado pela direita e bateu cruzado. Aproveitando o bom momento, Carpegiani colocou Claiton e Tartá em campo nos lugares de Netinho e Anderson Aquino.


Aos 28 minutos, Thiago foi lançado pela esquerda, driblou o marcador e tocou para Jean, que chutou rasteiro, no canto esquerdo do goleiro corintiano. Depois disso, os corintianos fizeram muita pressão, mas o Furacão segurou e garantiu a vitória em Londrina.


Agora a equipe continua se preparando em Curitiba para a retomada do Brasileiro, diante do Cruzeiro, no dia 14 de julho."

image #3
Eli Sabiá disputa lance com Danilo.

Ficha do Jogo


Atlético
Time campeão do torneio amistoso
João Carlos; Manoel (Leandro), Rodolpho e Eli Sabiá; Paulinho, Netinho (Claiton), Chico, Deivid, Bruno (Jean), Tiago (Javier Toledo), Anderson Aquino (Tartá)
Técnico: Paulo Cesar Carpegiani


Corinthians
Julio César; Jucilei (Tcheco), William, Leandro Castán e Roberto Carlos; Ralf (Paulinho), Elias (Edu), Bruno César (Defederico) e Danilo; Jorge Henrique e Iarley
Técnico: Mano Menezes


Data: 27/06/2010 (domingo)
Local: estádio do Café, em Londrina (PR)
Árbitro: Heber Roberto Lopes
Gol: Jean, aos 28 min (2T)

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Fahel e Cristian acionam Atlético na justiça.


"O volante Fahel, do Botafogo, acionou o Atlético-PR na justiça. O jogador, que atuou no Rubro-Negro em 2008, cobra mais de R$ 9 milhões em diferenças de férias, 13° salário, fundo de garantia, direito de imagem, diferenças de 15% sobre direito de arena, multa rescisória e cláusula penal por rescisão antecipada do contrato de trabalho.

Fahel atuou no clube em 2008, durante o Campeonato Brasileiro, e foi dispensado no inicio de julho daquele ano. Depois, o atleta acertou com o Goiás. Na última quarta, houve uma tentativa de conciliação entre as partes, mas sem sucesso.

Cristian, que atualmente está no Fenerbahce, da Turquia, também tem um processo na justiça contra o clube paranaense, que está em andamento desde abril."

Opinião

Lembrando que Fahel atuou no Furacão quando Ney Franco era técnico, e não teve mais espaço após a saída do treinador, que foi quem o trouxe para o clube. Nas poucas partidas em que atuou, o volante até foi bem, sem comprometer. No Botafogo, mesmo sendo titular por um bom tempo, o jogador foi sempre criticado pela torcida e pela imprensa como um dos pontos fracos da equipe.

Já o volante Cristian, que foi destaque do Corinthians em 2009, nunca jogou nada no Furacão, mesmo tendo várias chances. O jogador sempre se mostrou nervoso e um pouco violento, e acabou sendo vaiado pela torcida em diversas oportunidades. Isso fez com que ele guardasse certo rancor contra o clube, sentimento exposto pelo próprio jogador quando defendia o alvi-negro paulista ano passado.

Claiton volta ao Atlético em torneio amistoso em Londrina

Claiton em ação pelo Atlético
Da Gazeta do Povo:


"O retorno do volante Claiton aos gramados depois de onze meses de inatividade será a principal atração rubro-negra neste sexta-feira (25), a partir das 18h. O Furacão contará com o jogador na estreia de um torneio amistoso em Londrina, no Estádio do Café, diante do São Caetano.


Além da volta do "Predador", o técnico Paulo César Carpegiani vai utilizar o confronto contra o Azulão para observar os jogadores do elenco que ainda não pôde ver am ação. A equipe atleticana terá apenas alguns titulares.


"Não adiantava parar a preparação de todos os atletas para realizar estes jogos. Optei por levar uma maioria de jogadores que não estão atuando. Mas temos a obrigação de representar bem o Atlético", afirmou Carpegiani.


Corinthians e Iraty completam o quadrangular também no sábado, às 19h30. Os perdedores dos duelos se enfrentam no domingo, às 14h. Já os vencedores, fazem a final às 16h. A TV Paraná Educativa transmite todos os jogos da competição."

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Copa 2014 vai gerar R$ 142 bi adicionais para o Brasil, segundo estudo

Alguns dos projetos de estádios.
"O evento esportivo terá efeito multiplicador capaz de quintuplicar os investimentos diretos realizados no país para a viabilização da Copa do Mundo, injetando no total R$ 142,39 bilhões até 2014. A informação é do estudo "Brasil Sustentável - Impactos Socioeconômicos da Copa do Mundo 2014", desenvolvido pela Ernst & Young em parceria com Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Além do investimento direto de R$ 22,46 bilhões para garantir infraestrutura e organização, a realização da competição deve acarretar em R$ 112,79 bilhões adicionais, considerando os impactos provocados em inúmeros setores interligados, em um efeito dominó com uma série de desdobramentos econômico-sociais.

Segundo o estudo, serão gerados 3,63 milhões de empregos por ano e R$ 63,48 bilhões de renda para a população, impulsionando o consumo interno. A arrecadação também vai ser beneficiada, com um adicional de R$ 18,13 bilhões para reforçar cofres públicos.

O impacto direto sobre o PIB no período 2010-2014 é de R$ 64,5 bilhões - valor que corresponde a 2,17% do valor estimado do PIB para 2010, de R$ 2,9 trilhões.

Setores

Os setores mais beneficiados pela Copa do Mundo no Brasil serão os de construção civil, alimentos e bebidas, serviços prestados às empresas, serviços de utilidade pública (eletricidade, gás, água, esgoto e limpeza urbana) e serviços de informação. No total, essas áreas deverão observar um incremento da produção de R$ 50,18 bilhões.

Do total de R$ 29,6 bilhões que correspondem aos gastos estimados relacionados à Copa (incluindo despesas de visitantes), R$ 12,5 bilhões terão como origem o setor público (42%) e R$ 17,16% bilhões serão provenientes do setor privado (58%).

O investimento para equacionar os principais gargalos estruturais, como a limitação dos aeroportos, deve favorecer também o fluxo turístico. A perspectiva é de que o número de visitantes internacionais para o Brasil pode crescer 79% até a Copa, podendo ter impacto superior nos anos seguintes. O estudo aponta que, no período 2010-2014, o número de turistas internacionais deve crescer em 2,98 milhões de pessoas.

"O incremento do turismo traz consigo uma entrada significativa de recursos, que acabam se distribuindo entre os setores de hotelaria, transporte, comunicações, cultura, lazer e varejo", explica José Carlos Pinto, sócio de assessoria da Ernst & Young. A estimativa é de que só o fluxo induzido pela Copa do Mundo seria responsável por receitas adicionais de até R$ 5,94 bilhões.

As 12 cidades-sede receberão investimentos de infraestrutura da ordem de R$ 14,54 bilhões, que vão muito além da construção ou modernização dos estádios, com significativa influência sobre os PIBs municipais. Só na reurbanização e embelezamento das cidades, os gastos estão estimados em R$ 2,84 bilhões.

Há ainda investimentos representativos na base de tecnologia de informação em cada cidade, em mídia e publicidade, segurança pública, na expansão e adequação de complexos hoteleiros, soluções de mobilidade urbana e instalação de "fan parks", isto é, grandes parques transformados em espaços de lazer para quem não vai acompanhar os jogos no estádio.

O estudo mostra também que o evento vai beneficiar milhares de micro, pequenas, médias e grandes empresas dos setores industrial, comercial e serviços. São pelo menos 11 setores listados em que há um contingente expressivo de micro e pequenas empresas, assim como médias e grandes, que serão diretamente atingidas pela Copa - o total estimado é de quase R$ 3 bilhões.

Metodologia

A pesquisa buscou contabilizar todos os efeitos multiplicadores da Copa do Mundo. O modelo utilizado representa a economia brasileira por meio de 55 atividades econômicas, 110 categorias de produtos e 10 perfis de renda/consumo da população, o que permite estimar os benefícios totais (diretos, indiretos e induzidos) das atividades relacionadas à Copa sobre a produção nacional, emprego, renda, consumo e arrecadação tributária.
"

[fonte: Brasil Econômico]

Opinião

Com essa expectativa tão alta de investimentos no país, fica ainda mais clara a importância da participação da nossa cidade na Copa.

Atlético pode estar sondando atacante João Paulo, destaque do ABC

João Paulo comemorando gol

Do blog Futebol Nordestino:

"A boa campanha do ABC na CN tem um pilar: o excelente atacante João Paulo.


Contra o Náutico, ele voltou a marcar, na goleada ppor 4×1 dos potiguares.
O atacante de 22 anos tem apenas 1.69m, mas sua capacidade na finalização é inversamente proporcional ao seu tamanho. Mandou bem no Potiguar tornando-se o artilheiro da competição com 17 gols e vem mantendo o pique no Nordestão.


Já havia sido sondado pelo Bahia, Vitória e Sport tempos atrás e agora volta a despertar o interesse alheio. O Atlético/PR, que já tirou Wallyson do Mais Querido, está de olho em JP, assim como o Sport, que voltou a “paquerar” com o atacante."

Acompanhe lances do atacante abaixo.

Kassab fechou projeto da arena Pirituba, diz jornal

Do site Portal da Copa 2014:

"São Paulo pode voltar ao páreo para conquistar a abertura da Copa 2014. Segundo o jornal “O Estado da S. Paulo”, o prefeito da cidade, Gilberto Kassab, acaba de avisar à Fifa que fechou o projeto e a equação financeira para construir um novo estádio em Pirituba. A confirmação deve vir somente após a Copa da África do Sul, que termina em 11 de julho.


O novo estádio, multiuso, teria capacidade para mais de 60 mil pessoas, o que o habilitaria para o jogo de estreia em 2014. O custo estimado do empreendimento gira em torno de R$ 1 bilhão."

Agora só falta a confirmação de que o Corinthians vai administrar o estádio e mandar seus jogos lá para o Juca Kfuri ter acertado na mosca. (veja aqui)

AssoCap discutiu, ontem, projeto Copel Arena

E ontem, na reunião da AssoCap, o assunto foi Arena Copel. Segue o texto do site Paraná-Online:

"Um lobby pela Arena Copel. É assim que se pode resumir o seminário de caráter alternativo promovido na tarde de ontem pela Associação de Sócios do Atlético (Assocap).


Desde autoridades políticas até representantes de torcidas organizadas estiveram presentes. Membros da cúpula do Furacão não participaram do debate, apesar do comparecimento do presidente do Conselho de Ética, Rafael de Melo.


O encontro foi uma prévia do que deve ser a audiência pública, do dia 6 de julho, que pretende viabilizar economicamente a Copa do Mundo 2014 em Curitiba a partir do naming rights da Copel.


O Secretário de Estado para a Copa 2014, Algaci Túlio, mostrou toda a preocupação do governador do Paraná, Orlando Pessuti, pela manutenção da casa atleticana como subsede. “Temos uma posição positiva para que o estádio mais moderno do Brasil receba essa competição de renomada importância”. 


Petraglia lidera o movimento.


Já o deputado estadual Luiz Carlos Romanelli, autor do projeto de lei que permite a Copel investir na Arena, manteve a propaganda. “O que pensamos é numa forma de auxiliar o esporte paranaense, não apenas no Atlético. Outros clubes da capital e do interior também podem ser beneficiados”, resumiu.


O discurso foi similar ao do diretor executivo da Assocap, Fábio Vieira. “Os gaúchos têm o Banrisul investindo em times de futebol como Internacional e Grêmio. Nós apoiamos que a Copel invista em times daqui”. 


Para o ex-presidente do Atlético e um dos cabeças do grupo, Mário Celso Petraglia, o futebol paranaense será prejudicado caso Curitiba fique fora da Copa do Mundo. “Todos os grandes centros do país estarão presentes. Nós ficaremos de fora?”, disse. 


Cerca de 50 torcedores assistiram ao encontro, para ouvir e emitir opiniões. “Somos a favor do Atlético, acima de tudo. Vamos esperar pra ver”, disse o fundador da torcida Ultras, Marcelo Lopes, o Rato.


Acompanhando o fundador da organizada, o diretor geral da Ultras, Gabriel Barbosa, garantiu: “Não somos da Assocap. Nossa intenção apenas é fiscalizar e garantir que o Atlético não seja prejudicado financeiramente”."

E a AssoCap também está organizando, para sábado, às 11 horas da manhã, na Boca Maldita, uma coleta de assinaturas para um abaixo-assinado em favor da Copel Arena. A idéia é provar que o projeto tem apoio popular.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Contratações e dispensas do Atlético nesta quarta-feira

Guerrón, com a camisa
da LDU

Do blog da Nadja Mauad:

"Cinco jogadores devem ser apresentados nesta quarta-feira, no CT do Caju. O zagueiro Eli Sabiá, o lateral-esquerdo Paulinho, o volante Olberdam, e os meias Mithyuê e Ivan Gonzalez.


A vinda de um volante português foi especulada, mas o tal jogador é o paraibano Olberdam que defendeu durante cinco anos o Marítimo, de Portugal.


Outros reforços


O volante Vitor, do União Barbarense, é outro jogador que chegou a conversar com o Atlético e pode ser contratado.


Além disso, segundo informações apuradas, o clube vendeu 50% dos direitos do atacante Marcelo para a Traffic (o Atlético tem 90%) e com o dinheiro acertou com o Getafe a vinda do atacante Guerrón por cerca de 1 milhão de euros. Assim, para a negociação ser concretizada falta apenas o Atlético acertar a situação com o jogador equatoriano. Vale lembrar que a contratação de Guerrón foi um pedido do técnico Paulo César Carpegiani.


Wallyson


O jogador não faz mais parte do elenco do Atlético. O atacante, que tinha contrato até setembro, foi negociado. Outro atleta que também deve deixar o clube é o volante Alan Bahia."

Passivo das montadoras pode financiar obras na Arena da Baixada

Montadoras vieram com grandes
incentivos fiscais.
Da Gazeta do Povo:


"O governo do estado articula mais uma saída para o término da Arena para a Copa 2014. A ideia é convencer empresas, como a Renault e a Audi/Wolksvagem, com sedes em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, a quitar parte dos débitos fiscais que têm com o estado através de investimentos na obra, contando com incentivos para tanto.


Apenas as duas montadoras juntas devem quase R$ 3 bilhões aos cofres públicosA aprovação da medida será discutida na Assembleia. O deputado estadual Luiz Cláudio Romanelli (PMDB) acredita que o incentivo possa servir também para obras em outros locais.


“Não temos um grande ginásio, nem mesmo mais a Pedreira [Paulo Leminski, desativada] para reunir grandes multidões. Vamos ampliar o leque desse incentivo.”


A articulação precisa sair antes de 6 de julho, data na qual o prefeito Luciano Ducci e o governador Orlando Pessuti embarcam à África do Sul para um encontro com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira. Lá, terão de dar ao Comitê Organizador Local (COL) e ao ministro dos esportes, Orlando Silva, a solução para o evento. Silva teria segurado a indicação da Arena depois de saber da intenção de uma parceria público-privada via Copel.


O aporte de R$ 40 milhões feito pela companhia estatal de energia será discutido na mesma data em que os políticos embarcam à África. Uma audiência pública com representantes do município, estado, clubes e Copel está marcada para o dia 6. Quem defende a ideia justifica o marketing ao fato de que a Copel atuará nos ramos de telefonia fixa e internet ainda esse ano."

Petraglia e Malucelli são situação, oposição de verdade, ainda não existe no Atlético

Marcos Malucelli
Desde 2006, venho criticando as diretorias atleticanas pela filosofia de contratações praticada no clube.

Ainda na gestão do Mario Celso Petraglia, eram contratados diversos jogadores, sempre apostas de clubes menores, normalmente parceiros do Furacão.

Chegavam ao clube quinze, vinte, ou até 30 jogadores por ano. A maioria não chegava nem a 3 partidas pela equipe principal, e já saia do clube. As justificativas variavam. Desde falta de qualidade técnica, até simples opção do treinador.

E falando em treinadores, o mesmo problema acontecia nesse setor. Chegamos a ter 5 treinadores em um único ano, entre interinos e oficiais.

Aí foi eleito Marcos Malucelli, com um discurso de investimentos direcionados ao futebol, com poucas contratações, mas todas para resolver. E eu acreditei, me animei e pensei: "Agora vai!"

E no começo, as contratações realmente foram boas. Vieram Marcinho, Paulo Baier e Wesley, por exemplo. Mas logo vieram Brasão, Jorge Preá, Zulu, Rodrigo Diaz, entre outros. Alguns nem chegaram a jogar.

Aí eu descobri que o grande forte de Malucelli era mesmo o discurso. E só o discurso.

Petraglia
Hoje, no segundo ano da nova gestão, já estamos em junho, e as únicas contratações certeiras, de reforços mesmo, foram Bruno Mineiro e Branquinho. As outras, todas apostas. E algumas, inexplicáveis, como Serna, Vanegas, Leandro e Lisa.

No final das contas, a única melhora na gestão atual, em relação a anterior, foi na relação com os outros clubes e a imprensa. No resto, tudo continua igual ou pior.

E pra piorar, na última semana, o discurso, antigo ponto forte de Malucelli, passou a ser problema, já que o presidente afirmou com todas as letras que não quer a Copa na Arena independentemente de como os investimentos serão feitos.

A verdade é que, mesmo com as brigas entre Petraglia e Malucelli, os dois são da situação. A oposição de verdade mesmo, ainda não existe.

Mesmo sem jogar, Atlético sai da zona do rebaixamento

O Atlético está fora da zona do rebaixamento, mesmo sem jogar. Isso porque o Grêmio "genérico" Prudente perdeu 3 pontos, como punição por ter escalado o zagueiro Paulão, de forma irregular, contra o Flamengo.

Com isso o Grêmio Prudente caiu para 18° posição, enquanto o Furacão assumiu a 16° posição, saindo da zona de rebaixamento.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Prefeitura de SP dará terreno ao Corinthians para abertura da Copa, diz blog

Mais um elefantão? Desta vez é um
presentão... pro Corinthians
Do blog do Avallone:

"Minha fonte, segura fonte, estava feliz. Trata-se de um bem-sucedido homem de negócios, com trânsito livre em várias áreas e não nega ser torcedor do Corinthians, clube pelo qual sempre teve paixão.


E assim, eu estava  chegando em casa, lá pelas oito  da noite desta segunda-feira, quando ela, a fonte, me telefona e descreve o que ficou saber ter acontecido:


- “As duas da tarde, houve uma reunião no gabinete do prefeito Kassab. Nesta reunião, contando com Andrés Sanchez- presidente do Corinthians-, lá da Africa do Sul, (em vídeo- conferência), estiveram presentes, além do prefeito: representantes do BNDES, da construtora Andrade Gutierrez e também da Federação Paulista de Futebol- neste caso, um só, o Mauro Marques”.


- E que ficou decidido?-perguntei


E a fonte relata a decisão que, se consumada, acabará com a expectativa criada desde que o Morumbi foi descartado da Copa de 2014 e dará, além de um novo estádio para a cidade, também a alegria ao Corinthians como se vencesse um duelo particular com o tricolor.


 E, então diz a fonte:


- ”Ficou decidido que será cedido ao Corinthians um grande terreno em Pirituba, onde será erguido o estádio, sem uso do dinheiro público. Seria um estádio para umas 70 mil pessoas. Pronto: terminou o drama. Teremos a abertura da Copa!”


Confio na minha fonte, mas como as coisas são mutantes e mutáveis, acredito. Mas prefiro esperar que tudo se consume. Ou não. Mas que tem a ver com os últimos acontecimentos, ah, isso tem."


Ps.: lembrando que o jornalista Juca Kfuri, em seu blog, já tinha confirmado o "Piritubão" em maio.

Opinião

Vamos aos fatos:

- Técnico sem noção e desbocado;
- Ricardo Teixeira há mais de 20 anos no poder;
- Estádio novo, numa cidade que já tem estádio, pra quem votou em candidato da CBF;
- Andrés Sanchez, presidente de clube, como chefe da delegação da seleção na Copa;

Só falta agora o Pinheirão como estádio de Curitiba pra Copa... E olha que não está longe de acontecer!

BrasIL - IL - IL

Branca de Neve e os 6 anões, por Sidney Garambone

Por Sidney Garambone:

"Mestre estava preocupado. Pensou em chamar Feliz. Não, não. É um eterno otimista. Marcou, pois, uma reunião com Zangado. Saíram da mina de diamantes e foram tomar um trago na terceira árvore da floresta.


        – O que está havendo com o Dunga?
        – Vai perguntar para mim? – reclamou Zangado.
        – Achei que você fosse o mais indicado.
        – Eu já reparei. Tentei falar, mas achei melhor a prudência. Com ele, não quero briga.


Mestre sabia que Dunga era sentimental, que não esquecia desaforos antigos mas, mesmo assim, estava surpreso. Não havia espaço para brincadeiras e canções. Dunga era só retaliação.


Os outros anões, de copo na mão na hora do almoço, viram Mestre e Zangado na tertúlia e resolveram se aproximar. Sabiam o assunto.


        – Ele xingou a Branca de Neve – disse Dengoso, chorando.
        – Ele reclamou dos meus espirros – contou, magoado, Atchim.


E, para Feliz, Dunga também mandara na lata:


        – Está rindo de quê? De mim?


Soneca também estava espantado.


        – Dunga falou que meu patrão deveria me demitir porque eu durmo muito.


Mestre sentiu-se acuado.


Patente por patente, era ele quem deveria chamar a atenção de Dunga. Mas achava melhor não. Se houvesse alguma cizânia, diriam que a culpa era dele e de Dunga.


O jeito foi apelar para Branca de Neve.


Doce e meiga, ela tudo percebera e temia levar uma patada. Não deu outra. Aproximou-se, cândida, do seu anão preferido. E perguntou:


        – Dunguinha, você está triste?
        – Isso é você que está dizendo!
        – Posso dar um beijo na sua careca?
        – Não! Tenho memória de elefante, quando pedi um beijo na careca numa tarde chuvosa, há 49 dias, precisamente às três e quarenta e sete da tarde, você disse que estava ocupada com a faxina. Agora não quero!
        – Mas o que aconteceu para você ter ficado tão bravo?
        – O que aconteceu ou o que tem acontecido?
        – Não me diga que você ainda está furioso com a brincadeira dos diamantes de três anos atrás.


Silêncio.


Branca continuou.


        – Dunguinha, quando vocês passaram um mês sem conseguir extrair diamante algum da mina não foi culpa só sua. Foram dos sete.
        – Então por que disseram que foi a Era Dunga da escassez de diamantes?
        – Generalizaram. Coisa do Zangado e do Dengoso.


Mas Branca de Neve sentia que não era só isso. Tinha a história da maçã. E Dunga desandou a falar.


        – Você é muito oferecida. Aceita tudo. Não devia ter nem olhado para aquela velha. Eu não devia ter permitido você falar com ela.


Também sobrou para o príncipe.


        – Você beijou um desconhecido e de olhos fechados.


E para o espelho.


        – Esse aí não se enxerga…


Troféu Coxinha
pro Dunga!
De longe, os anões olhavam curiosos, aguardando um desfecho feliz. Mas tomaram um susto ao ouvirem Dunga propor para Branquinha.


        – Se você comer esta pêra, talvez eu mude de comportamento…
        – Claro, Dunguinha – aceitou a generosa quase princesa.


Fez-se o barulho. Os seis anões, tresloucados, pularam em cima de Dunga, jogando longe a pêra. E começaram a ralhar:


        – Está maluco? A Branca só quer o seu e o nosso bem! Às vezes nos puxa a orelha, mas só quer o sucesso do grupo! E não cansou de te elogiar em outras ocasiões!


Eis que Mestre aponta, ao fundo da floresta, a madrasta indo embora desapontada. Era um feitiço.


        – Amigos, Dunga não fala!
        – Maldição!


E todos perceberam que o querido anão estava tendo dias de Lobo Mau.


Pena que o rancor do episódio jamais foi curado. Não viveram felizes para sempre. E, naquele dia, nenhum esquilo acreditou na canção: “Eu vou, eu vou, para casa agora eu vou…”

segunda-feira, 21 de junho de 2010

[Arena da Baixada] Furacão aguarda resposta do BNDES e/ou "Copel Arena" para confirmar a Arena como sede

Projeto da Arena para Copa 2014
Da Gazeta e da Furacao.com:

"Mesmo com a negativa do presidente Marcos Malucelli em não receber os jogos da Copa de 2014, na Arena da Baixada, o Atlético ainda não fechou as portas para a realização dos jogos na Arena da Baixada, quem garantiu isso foi o presidente do Conselho deliberativo do clube, Gláucio Geara. “Decidimos continuar as negociações. O conselho está acima estatutariamente. Nós fomos eleitos pelos associados. Aquilo foi uma opinião pessoal dele, mas desde o início houve o nosso comprometimento. As negociações não estão fechadas. Eu respeito a opinião dele, mas nós não temos decisões pessoais; nós temos um colegiado”, disse o presidente do conselho deliberativo do clube.


Portanto, o Atlético Paranaense aguarda uma resposta do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento) para rever a posição quanto à proposta de potencial construtivo na Arena da Baixada, para a conclusão do estádio para a Copa do Mundo 2014. O presidente do conselho fiscal do clube, Amadeu Geara, solicitou ao banco estatal uma análise para determinar a possibilidade de se fazer o financiamento para o término da obra usando papéis a serem averbados pela prefeitura como garantia, ao invés do patrimônio do clube.


A resposta (e consequente solução para o entrave que atrapalha a vinda da Copa para a cidade) é aguardada ainda para essa semana. A ideia dos governos municipal e estadual é que o prefeito Luciano Ducci e o governador Orlando Pessuti viajem à África, no próximo dia 6 de Julho, já com o problema resolvido.


Allianz Arena, maior exemplo de
naming rights do mundo
No Comitê estadual para a Copa em Curitiba, a movimentação atleticana foi muito bem recebida. “A solução está bem próxima, posso garantir”, afirmou Luiz de Carvalho, representante da prefeitura. Nos bastidores, não só o possível aceite do BNDES ao pedido atleticano é visto como saída. O projeto de lei apresentado pelo deputado Luiz Claudio Romanelli (PMDB), autorizando a Copel investir R$ 40 milhões em publicidade através do naming rights da Arena, ganhou força.


O deputado pediu uma audiência pública sobre o projeto, que com a entrada da estatal nos ramos de telefonia fixa e internet, passou a ser mais bem visto por alguns setores da sociedade. Com a mudança no cenário, após a turbulência interna no Atlético, Carvalho demonstrou total otimismo na confirmação do evento na cidade: “Se não for na Arena, não será em lugar nenhum.

Opinião

Allianz Arena
A melhor saída seria o BNDES aceitar os papéis de potencial construtivo, desta forma o clube não ficaria mais endividado do que esperava, e o governo não colocaria dinheiro público diretamente no estádio. Mas eu, particularmente, acho difícil o BNDES aceitar essa proposta, já que uma auditoria contratada pelo próprio clube afirmou que os papéis são negociados no mercado com deságio muito grande, além da difícil negociação dos mesmos.

No caso da Copel, a empresa está se expandido no mercado, entrando em setores de alta concorrência, como telefonia e internet. Isso viabilizaria um planejamento de marketing envolvendo o naming rights da Arena. Mas eu continuo achando que isso deve sair de dentro da própria Copel, sem envolvimento de deputados. A não ser, é claro, que exista algum tipo de regulamentação que exija lei complementar (ou algo parecido) para autorizar investimentos da empresa em marketing, mas eu desconheço tal exigência.

E você, o que acha das opções das possíveis soluções?

Carta aberta de Valencia aos torcedores do Atlético

Valencia em ação, símbolo de raça.

Carta aberta de Valencia aos torcedores atleticanos:

Caros torcedores atleticanos,


Vocês devem ter acompanhado as notícias nesta semana de que eu estou deixando o Atlético Paranaense. Mas antes de ir gostaria de deixar uma mensagem. Gostaria de expressar meu sincero agradecimento por cada minuto que passei ao lado de vocês, por cada grito de incentivo que recebi e até pelas críticas recebidas, que muito me fizeram crescer como profissional e como pessoa. Desde que cheguei ao Brasil, tenho aprendido a cada dia e isso não tem preço. No início, a adaptação foi difícil, mas hoje me sinto praticamente como um brasileiro. E este amadurecimento foi conquistado graças a vocês. Sempre fui recebido com carinho e com muito respeito por onde passei. Sempre recebi apoio e podem ter certeza de que estas lembranças ficarão guardadas na minha memória como parte dos momentos especiais da minha vida. Foi no Atlético Paranaense com essa torcida maravilhosa que realizei um sonho, o de vencer no futebol brasileiro. 
Hoje, começa um novo ciclo da minha vida, uma nova etapa da minha carreira profissional que deve seguir em frente. Levarei cada um de vocês no meu coração e saibam que sempre terão a minha torcida pelo sucesso de vocês e do Atlético. Jamais esquecerei o que todos vocês fizeram por mim e pela minha família. Desejo o melhor a cada um de vocês!


Gracias, saludos y abrazos,


Edwin Armando Valencia Rodríguez

Hoje, o volante se apresentou ao Fluminense, onde deve ter muito sucesso nesse campeonato brasileiro, com Muricy como técnico. Fica aqui, o meu agradecimento a toda a raça e disposição que Valencia sempre demonstrou em campo. Pra ele, não tinha bola perdida. Como todos, errava, mas sempre buscava consertar o erro o mais rápido possível, com muito vontade, e sempre com lealdade.

Sucesso Valencia!

Força Furacão!

"Apesar de você", por Andre Rizek

André Rizek, jornalista da Globo
Por Andre Rizek, do blog Carta Bomba:

"Não sei se os amigos já pararam para refletir sobre isso… A Seleção é o maior patrimônio do nosso povo, da nossa história. Mais significativa que as fronteiras do país, é Ela, a Seleção, a única coisa que realmente une e iguala o brasileiro descalço do interior do Amazônia ao milionário que mora em uma cobertura nos Jardins, em São Paulo. O brasileiro que batuca no Pelourinho ao que usa bombacha e toma chimarrão no Rio Grande Sul.


A Seleção representa o único momento em que todo brasileiro ao mesmo tempo estufa o peito na hora de lembrar onde nasceu.


Vencer, não se discute, é o que há de mais de importante a ser feito por Ela em uma Copa do Mundo. Prefiro mil vezes ganhar como em 1994 do que chorar como em 1982. Mas isso não quer dizer que ganhar seja a única coisa que realmente importa…


Dói no meu coração (desculpem a frase piegas, mas ela é autêntica) ver que o cartão de visitas (”Prazer, Brasil”) de um povo alegre e do bem foi tomado pela mensagem do ódio, da ignorância, do rancor.


Os amigos podem achar que escrevo isso apenas porque um colega de emissora (e grande amigo) foi ofendido pelo Dunga, gratuitamente, após a vitória de 3 x 1 contra a Costa do Marfim. Isso é o de menos. A imprensa não tem essa importância toda…


A questão ali não era o alvo da ofensa (chula). Era de onde ela partiu. Era ver o sujeito que leva no peito o emblema do futebol brasileiro fazer o que fez: palavrões, raiva e rancor em uma solenidade da Fifa. Com o mundo inteiro vendo. E viu o quê? Que Dunga é “homem” e quem não aceita o convite para bater boca com ele é “cagão”.


Mas isso é ainda menos grave do que a cena, lamentável, mostrada pelo Sportv depois do jogo: Dunga xingando o Drogba na beira do campo. Os jogadores das duas equipes se abraçaram. Dunga preferiu xingar o atacante que, diga-se de passagem, foi quem apartou as brigas dentro de campo…



Compromisso de Dunga é com Ricardo
Teixeira, e não com o Brasil.
Drogba é um astro da Copa do Mundo e como amantes do bom futebol que somos (somos, não é?), queremos ver gente como ele em campo. Devemos estender a mão a eles. Mas nosso técnico, que só consegue enxergar três pontos na frente do nariz, o vê como “inimigo”.


Dunga precisa de inimigo como a gente precisa de oxigênio. Se cair em uma ilha deserta, vai sobreviver xingando coqueiros… Isso é achar que o mundo gira em torno do próprio umbigo – ou contra o próprio umbigo, melhor dizendo.


Tem gente que não sabe perder. Dunga não sabe ganhar.


No ano passado, aqui mesmo na África do Sul, depois da estreia na Copa das Confederações, um jornalista egípcio disse ao nosso treinador que o povo de seu país era apaixonado pela Seleção Brasileira. Mas que, na vitória por 3 x 2 contra os egípcios, ele não haviam visto “o futebol-samba” do Brasil. Queria saber o motivo disso. Pergunta boa e simpática. Sabem como foi a resposta?


- Queria ver se a gente tivesse uma semana de descanso, como teve o Egito antes do jogo, se vocês iam gostar de ver o nosso futebol. Aí eu queria ver se vocês iam gostar!


Eu fiquei com vergonha… Porque a Seleção não é do Dunga, a Seleção não é do Jorginho. A Seleção não é nem do Pelé! Muito menos da imprensa. A Seleção é do Brasil. E o Brasil, representado ali pelo Dunga, estava dando uma patada… na inofensiva imprensa do Egito!


Dunga, sempre atacando a
 imprensa
Este ano, por uma escolha (triste) da CBF, a Seleção foi ao Zimbábue fazer um amistoso. O Zimbábue é presidido por um ditador sanguinário, o Robert Mugabe. E o que faz o nosso “embaixador Dunga”? Quando voltou de lá, sem saber do que estava falando, resolveu fazer um elogio sobre o pouco que viu daquele país. Poderia ter se calado (não foi ele que marcou o jogo, afinal…). Mas prefere passar por ignorante do que perder a chance de cutucar “seus inimigos”. Assim já havia sido quando questionou se a ditadura e a escravidão haviam sido tão ruins assim. Não fez por convicção. Fez porque assim abriria mais um confronto.


Dunga se alimenta de confrontos.


Ele fez o que fez depois de passar pela Costa do Marfim na segunda rodada. O que fará se vencer a Argentina na final? Vai morder a jugular do Maradona? Vai subir na mesa na hora da entrevista promovida pela Fifa?


Por falar em Maradona. Um maluco está conseguindo promover o futebol argentino para o mundo com uma mensagem de alegria e bom-humor – afinal, o que é futebol? É para a a gente parar e pensar sobre isso…


Dunga faz um bom trabalho como treinador e isso é reconhecido por 90% dos jornalistas que eu leio, assisto, escuto. Pela qualidade dos nossos jogadores, mais uma vez temos boas chances de ganhar a Copa.


É o que há de mais importante a ser feito aqui.


Mas, definitivamente, não era a única coisa importante que o futebol brasileiro poderia fazer na primeira Copa disputada em território africano."

Diferença entre as mãos de Henry e Luís Fabiano está nas nacionalidades

Por Mauro Cezar Pereira:

"Qual a diferença entre o toque de mão de Thierry Henry em França x Irlanda e as ajeitadas de Luís Fabiano nos 3 a 1 do Brasil sobre a Costa do Marfim? Foram dois gols ilegais e validados. Erros dos árbitros, claro. Desonestidade dos jogadores? Não cheguemos a tanto.


A história do futebol está repleta de gols marcados com auxílio das mãos. O mais famoso é o de Maradona, em Argentina x Inglaterra, há 24 anos. Existem outros tantos, mais antigos, como o de Wilton, num Fla-Flu em 1968. Um jogo obscuro que, por isso, ficou para a história.


Túlio Maravilha também usou o braço vestindo a camisa da seleção brasileira. Foi na Copa América de 1995, num duelo com a Argentina, no Uruguai. E na época a reação das pessoas não foi de repulsa, como no episódio protagonizado por Henry. A cor do uniforme muda a opinão de muitos.


Luis Fabiano ajeitando a bola com o braço


Esse tipo de jogada não se ensaia, não se premedita, simplesmente acontece. O jogador não coloca a mão na bola de forma pensada, é algo espontâneo, do instinto. Rotular alguém, julgar um atleta por ter tocado irregularmente na pelota é um erro, talvez maior do que o cometido por quem apita.


Henry não é um déspota por ter ajeitado com a mão para Gallas marcar o tento do triunfo sobre os irlandeses. Luís Fabiano também não é um mau desportista por ter movimentado os braços como se fosse o Doutor Octopus do filme Homem-Aranha, antes de mandar para as redes.


Jogadas assim acontecem, tudo muito rápido, numa fração de segundo. Aos brasileiros e brasileirinhos que julgaram e rotularam o francês, é hora de refletir a respeito."

Opinião

Concordo com Muaro Cezar, foi um lance irregular e PONTO. Quem, em uma pelada de final de semana, nunca colocou a mão na bola numa atitude de instinto, sem pensar nas consequências. Imagine numa competição como a Copa do Mundo, onde o jogador sofre pressão constante para marcar, o instinto por vencer com certeza fala mais forte. Cabe ao arbitro simplesmente parar a jogada quando ocorrerem irregularidades.

E em homenagem ao golaço do Luis Fabiano, segue alguns golaços do Furacão





Pela primeira vez, Coreia do Norte transmite jogo ao vivo; Resultado: 7 a 0

Seleção da Coréia do Norte

Do site do Estadão:

"A emissora estatal de televisão norte-coreana garantiu nesta segunda-feira que transmitirá a partida da seleção local contra Portugal, às 8h30 (horário de Brasília), ao vivo. O jogo contra o Brasil, que ocorreu durante a madrugada em Pyongyang, foi veiculado apenas na noite seguinte do jogo.


O confronto contra os portugueses deve ser a primeira partida na história da seleção norte-coreana, disputada em outro país, que será transmitida ao vivo por um canal de televisão local.


A União de Redes da Ásia e do Pacífico, uma organização sem fins lucrativos que reúne emissoras de 58 países, informou na terça-feira passada que a televisão norte-coreana obteve legalmente os direitos para transmitir os jogos da Copa do Mundo.


Ditadura controla acesso a informação
Apesar do acordo, existia a suspeita de que nenhuma partida fosse transmitida ao vivo por duas razões especiais: o temor de que a equipe se saia mal e o possível protesto na torcida contra a ditadura comunista. Na reprise da vitória brasileira por 2 a 1, por exemplo, apenas o primeiro tempo foi veiculado - quando o confronto ainda estava 0 a 0."

Grêmio empresta meia Mithyuê para Atlético-PR até o fim do Brasileirão

Mithyuê, promessa do Grêmio.

Do site Uol Esportes:

"O Grêmio emprestou o meia Mithyuê, 20 anos, para o Atlético-PR até o final do Campeonato Brasileiro. O acerto foi feito durante a folga do grupo de jogadores. Mithyuê recebeu a notícia com surpresa, mas encara a transferência como uma oportunidade para "decolar" na carreira.


“Fiquei surpreso. Minha vontade era ficar no Grêmio, mas fui me acostumando com a ideia. Recebi a notícia durante folga e fui pensando aos poucos. Mas foi uma surpresa boa, porque vai ser bom para minha carreira decolar”, afirmou o jogador na manhã deste sábado, no estádio Olímpico.


Ex-jogador de futsal, Mithyuê era uma promessa gremista há dois anos. No ano passado, passou a maior parte do tempo se recuperando de uma lesão no joelho e ganhou algumas oportunidades no início da atual temporada.


Nos últimos jogos, porém, não vinha sendo aproveitado no time titular, mesmo com a série de lesões de meias e atacantes. Meia de origem, Mithyuê também era utilizado como segundo atacante pelo técnico Silas.


Mithyuê fica no Atlético-PR até o final do Brasileirão. Apesar da má colocação da equipe paranaense no campeonato, na zona de rebaixamento, o jovem jogador não se assusta e procura ver o lado positivo do desafio.


“Não me assusto nem um pouco. Está no começo do campeonato e isso serve até de estímulo para tirar a equipe da zona do rebaixamento e levar, quem sabe, para o G4”, disse o jogador.


Nesta sexta, o Grêmio teve o retorno do lateral-direito Joílson, que também havia se transferido por empréstimo para o Atlético-PR. O jogador não foi aprovado nos exames médicos realizados em Curitiba."

Mais um aposta, vamos torcer pra que de certo.

Dunga, o xingador, arruma mais uma com a imprensa




Dunga, no momento em que
murmurava xingamentos.


"A entrevista coletiva de Dunga mal tinha começado. Ele falava sobre Luis Fabiano, sobre a cobrança que ele colocava nas próprias costas e da suposta cobrança da imprensa com o artilheiro da seleção.

De repente, a frase parou. Ele olha para o canto alto esquerdo da sala, lotada de jornalistas. Era bem onde eu estava. Mas Dunga não falava comigo. Falava com Alex Escobar, da TV Globo, sentado duas poltronas mais para cima.

"Algum problema?", perguntou Dunga, interrompendo a resposta sobre Luis Fabiano. "Eu?", perguntou Escobar. "Não estou nem olhando para você, Dunga."

O diálogo surreal parou por aí. Mas a cada momento em que eram feitas perguntas, Dunga olhava na mesma direção e murmurava, balbuciava. Brincadeiras? Comentários com alguém que estivesse ali perto? Não, não. Palavrões. Alguns vazaram pelo sistema de som.

Para quem eles estavam direcionados? Ele olhava fixamente para Escobar. E eu sei disso porque, como disse, estava apenas duas poltronas à frente. A direção do olhar é incontestável.

O que Escobar terá feito para Dunga? Não tenho a menor ideia. O que tenho é quase certeza de que não foi nada demais. O ressentimento é impressionante. As coletivas são tranquilas, normais, com perguntas objetivas e não ofensivas. As respostas são, quase sempre, agressivas, duras, mal-educadas. Isso quando não sobram os palavrões murmurados.

No fim da entrevista, sobrou para os jornalistas até mesmo o fato de os jogadores não terem tido folga depois da primeira partida e nem hoje, dia seguinte à segunda.

"Após o jogo, a gente sempre tenta fazer a recuperação. Se dá dia livre para sair, vocês vão atrás dos caras! Aí não é folga, é trabalho", esbravejou Dunga.

Oras, nossa função é ir atrás deles mesmo. Se querem dar entrevistas, ótimo. Se não querem, fazer o quê? Só Robinho furou o bloqueio ao falar com a Globo em uma folga. Levou bronca. Desde então, eles não tiveram mais dia livre.

E a culpa é nossa! Isso mesmo. Os jogadores não têm folga por culpa da imprensa. É tudo culpa da maldita imprensa! 

Dunga, na minha opinião, acerta ao acabar com as regalias da cobertura da Copa. Eu vi coisas em 2002 e 2006 que davam asco, nojo. Isso acabou com Dunga. Mas ele erra ao colocar todo mundo no mesmo saco, ao perder a linha, ao tentar criar uma guerra para dar um motivo a mais para seus jogadores se motivarem."


Sabe quando você passa a odiar um time de futebol por causa de um elemento idiota do grupo? Então, estou quase lá...