domingo, 23 de maio de 2010

Já estamos na ZR!

Márcio Azevedo marcando Ricardinho.
Como previsto, o Galo Mineiro teve facilidade pra ganhar do Furacão neste domingo, no Mineirão, por 3 a 1.

O jogo começou com um Atlético tocando bem a bola na frente, principalmente com Branquinho e Wagner Diniz. As saídas dos zagueiros ao ataque, que na minha opinião é a única virtude do técnico Leandro Nehues, também funcionavam. Mas isso durou até os 15 minutos do primeiro tempo, quando o Galo Mineiro começou a se organizar e, naturalmente, sem fazer maiores esforços, tomou conta na partida.

A partir daí foi um "Neto nos acuda", já que Diego Tardelli e Muriqui ficaram na cara do gol várias vezes, com excelentes saídas do goleiro rubro-negro. Alex Mineiro e Branquinho, nesse momento, já estavam completamente sumidos da partida, isolados no ataque. E assim acabou o primeiro tempo.

No segundo tempo, Leandro Nehues voltou com o mesmo time. Mas aí, a pressão do Galo só aumentou. Paulo Baier, Alan Bahia, Valência e Márcio Azevedo perdiam todas as jogadas, armando contra-ataques seguidos para o Galo. E na primeira vez que Neto falhou, socando a bola erradamente para a frente na grande área, Muriqui não desperdiçou e mandou no cantinho, fazendo 1 a 0.

Logo em seguida a zaga do Atlético apenas assistiu um lançamento nas costas de Wágner Diniz cair no pé de Muriqui que cruzou para Tardelli guardar o segundo, com facilidade.

Técnico Leandro Nehues
Aí que Leandro começou a mexer, colocando Bruno no lugar de Alex, Netinho no lugar de Alan Bahia, e Javier Toledo no lugar de Paulo Baier. Nesse meio tempo, mesmo com a pequena melhora do Furacão na partida, Ricardinho, que sempre marca o dele contra o CAP, fez o dele, matando o jogo.

Com o jogo já liquidado, o Atlético passou a tocar melhor a bola, e numa boa jogada de Netinho com Branquinho, a bola caiu nos pés de Bruno Mineiro, que fez o gol de honra do Furacão. E ficou nisso. 3 a 1.

Sobre a arbitragem, como previsto foi horrível. Quando o jogo ainda estava 0 a 0, no segundo tempo, Branquinho recebeu lançamento em posição legal, na cara do gol, só ele e o goleiro, mas o bandeira marcou impedimento. Depois, já com 2 a 0 do Galo, Márcio Azevedo chutou pro gol e, ao tentar se defender da bolada, o jogador do Galo ergueu a mão desviando a bola pra escanteio, pênalti não marcado. De qualquer maneira, não enfatizei os erros da arbitragem por acreditar que mesmo sem eles, o Furacão perderia a partida.

Melhores e piores do Atlético

Bruno Mineiro, Netinho, Manoel e Neto (mesmo tendo falhado no primeiro gol).

Alan Bahia, Paulo Baier, Valência, Márcio Azevedo e Leandro Nehues (fora Nehues).

Nenhum comentário:

Postar um comentário